Make My Short Suffer – Itself

 

Make My Short Suffer – Itself

Velocidade, técnica e agressividade é o retrato mais exato de “odeio Salva”, queixou-se da banda segundo álbum demo Paulista. Com textos que refletem o sentimento dos membros da banda em relação ao fanatismo religioso, a sólida estrutura deste trabalho são descritas apenas como uma Porras verdade, conduzir de forma significativa na primeira faixa chamada “Fiery Death”!
As quatro faixas que fazem parte do álbum segue a estrutura do death metal moderno com um toque de Old School. Uma mistura de Cannibal Corpse com Celtic Frost, que se caracteriza pelo pareamento das guitarras e baixo faixa com os tambores técnico obscuro e rápido, o que só torna as canções mais interessante que cada bar está quebrado. A arquitetura faixa com vocais graves potentes, que às vezes acompanha o violão e harmonia da vida em si parece agora ganhar uma explosão gutural, como em “Leve sua cruz”, a segunda faixa do álbum. “Deadivine” talvez a canção com o refrão de fogos de artifício mais, cantou a saber denunciou este trabalho, como em um imponente antigo com o traço antigo.
A faixa de maior destaque de “apenas ódio Salva”, e que atenção especial deve ser dada, é “Messias morto”, e canção magistralmente trabalhada que é certo para tocar para os fãs de metal para a sua variação harmônica, sempre convidando o ouvinte a ” Bang “marcas de suas passagens.
Este é “apenas o ódio Salva”, queixou-se da banda, que tem em sua formação com Thiago no vocal, Bruno na guitarra, Tathiana (eu acho que as mulheres também são Death Metal com responsabilidade) no baixo e Lucas, em nome da baqueta.

Make My Short Suffer:

 

01 – Delirium
02 – Ultraviolence
03 – I Can´t Stop
04 – Psychotic Domination
05 – Make My Suffer Short
06 – Haloperidol
07 – Guess Who I Am
08 – Chaos
09 – Inner Emaciation Of The Flesh
10 – Silent Disease
11 – Twisted Into a Malignant Tumour

 

www.myspace.com/itselfdeath

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas