Cold Blood

Perguntas: Cremogema

1- Quando nasceu a ColdBlood ? Qual era o objetivo na época ?

MKult. O Coldblood foi fundado em Janeiro de 1992, por Alan Silva ex-guitarra/vocal, Vitor Esteves – ex-Baixista e por mim Markus Coutinho (MKult – Bateria). Nosso objetivo na época era de tocar Brutal Doom Death Metal, sob a influência de bandas como: Bolt Thrower, Benediction, Paradise Lost, Death entre outras. Dessa época temos como registro nossa primeira demo que se chama “Terror Stench”, relançada a pouco tempo pelo selo curitibano Puta Madre Rec. em verssão Split com a banda Luvart.

2- Esse objetivo amadureceu, se expandiu ?
MKult – Continuamos com a banda até 1993 quando demos nossa primeira pausa por motivos pessoais e de ordem interna. Posso dizer que aprendemos muito nesse primeiro período de atividades, além de ter colocado o nome da banda no mapa do underground nacional. Nosso retorno definitivo foi em 2005 com a formação original, mas após o lançamento do álbuns e algumas apresentações a formação mudou novamente. Hoje temos uma nova formação, mais focada e acredito que agora as coisas realmente vão se expandir.

3- Hoje a banda ja é mais conhecida e caminha com um som mais profissional, quais fatores lhes deram mais experiência para chegar a este nivel musical ?
MKult – Obrigado, a formação que gravou o primeiro álbum, já era uma formação bem experiênte, tocamos juntos por 17 anos, além de termos passado por bandas como: Mysteriis, Darkest Hate Warfront e Nocturnal Worshipper. Toda essa experiência adquirida ao longo dos anos ajudou bastante. Quando gravamos o Under The Blade I Die já tínhamos 15 anos de banda. Hoje temos uma formação diferente, mas tão esperiênte ou mais que as anteriores, devido as participações em bandas como: Mysteriis, Darkest Hate Warfront, Unearthly, Negative Cells Of God, Vulgar, Statik Magic, Matanza…..Toda essa bagagem ajuda muito, tanto na parte musical quanto na parte administrativa. Músicalmente falando todos na banda tem um bom domínio de seus respectivos instrumentos, boas idéias….sabemos o que queremos, falamos a mesma língua musicalmente e isso ajuda na hora de compôr.

4- Quais apologias e crenças a banda aborda em suas letras e ate que ponto estes temas influenciam em suas vidas?
MKult – Abordamos temas sobre Anti-cristianismo, povos antigos, maldade,
mitologia, Fanatismo religioso, filosofia oculta….. não seguimos uma regra sobre isso, existem muitas coisas interessantes a serem ditas e exclarecidas. O Anti-cristianismo em nossas vidas é representado de forma como vivemos, ou seja, livremente, sem ordens e almeaças. As histórias de povos antigos, mitologias e fanatismo religioso que vemos e lemos servem de inspiração para um grande tema, assim como as histórias de maldades que vemos pelo mundo. O Que realmente influência em nossas vidas é termos um bom relacionamento com as pessoas e dinheiro no bolso rrsrrsrsrsr

5-Influencias musicais e literarias?

Mkult – Musicais posso dizer que o Death Metal da velha escola é a nossa base, Literarias, – nem tudo que colocamos em nossas letras vem de uma influência literária, as vesez experiências vividas por nós são abordadas. Mas gostamos de ler sobre filosofia oculta, livros que abordam histórias sobre civilizações antigas, psicologia, comportamento humano, H.P. Lovecraft…

6- Quais pontos você destaca em evolução de material a material lançado pela banda ?
MKult – Na primeira demo “Terror Stench” (1992) praticávamos um Brutal Doom Death Metal com inspirações em bandas como: Bolt Thrower, Paradise Lost (Old),
Death, Entombed….Na segunda demo “…And It Comes The Winter” (2000) a banda estava mais técnica e as influências de Doom Metal foram ficando de lado, partindo para uma coisa mais rápida e como disse anteriormente técnica. A terceira demo “Reicarnating A New Black God” (2005) estávamos mais técnicos, brutais e rápidos mas sempre mantendo a velha escola como base. Em nosso álbum de estréia “Under The Blade I Die” tínhamos de fato encontrado nosso direcionamento musical que permanece até os dias de hoje.

7- Jogo rápido:

4 bandas nacionais: Sarcófago, Sepultura (Old), Dorsal Atlântica e Taurus
1 livro: A Auto Perfeição Humana.
Religião: Anti-cristianismo
1 cd: Destruction (Infernal Overkill)
Tempos livres: Games, compôr,
Familia : Tentando construir uma
ColdBlood: Uma missão a cumprir
Uma frase: Vida longa ao metal nacional

8- Qual o melhor show da banda?
MKult- Acredito que cada show tem sua própria história, não sei dizer ao certo qual foi o melhor, todos tem sua importância. Eu acho que vamos melhorando a cada apresentação.

9- Projetos para 2011?
MKult – estamos preparando um single para apresentar a nova formação e em seguida começaremos a gravação do nosso próximo álbum, já temos as músicas prontas, vamos ensaiá-las mais um pouco e gravá-las. Temos algumas propostas para o lançamento, vamos analizar a melhor e finalizar os trabalhos. Após o lançamento, cairemos na estrada, nos aguardem.

10- O que a banda espera dos fãs e adeptos do metal em relação as suas músicas ?
Mkult – Espero que todos gostem desta nova formação e de nossa música, queremos apresentar o melhor material possível para nossos fãs e com isso conquistar outros mais. Temos recebido muitas mensagens de apoio e queremos retribuir com um bom lançamento.

11- Qual parte do processo de composição é mais complicado para a banda ?
MKult – A maior dificuldade é de não podermos ensaiar todos os dias, isso atrasa um pouco o processo de criação. Mas a gente tenta fazer o máximo de ensaios possíveis.

12- Mensagem da banda ?
Gostariamos de agradecer pela oportunidade desta entrevista e agradecer as pessoas que nos apóiam. Nos encontraremos em breve na estrada e despejaremos muito death metal em seus ouvidos. KEEP METAL! 666

13- Contatos:

[email protected]

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas