Hellcats

 

Perguntas: Cremogema
Respostas: Thais

O nome Hellcats se expressa muito nervoso , porém na voz de Thais se torna muito mais perigoso e letal , assim como uma guerra química que não se sabe de onde vem a destruição …

Bom Thais é um prazer falar contigo agora, pode nós dizer quando percebeu o talento para música , e por que servi-lo ao rock n roll ?

Bom primeiramente eu que agradeço, eu comecei na música aos 8 anos de idade, quando comecei a ter aulas de inglês e de violão… ai logo quando aprendi os acordes básicos – Lá, Ré, Mi etc… já comecei a compor músicas em inglês e daí nunca mais parei! hehe E por que do Rock n´roll é que desde cedo escutava Guns, Metallica, Sepultura… influenciada pelo meu irmão que me introduziu ao bom e velho rock and roll! Hehe.

Desde cedo você escutava metal , por que cair de cabeça em uma mistura musical mais tranqüila ?

Eu sempre fui uma pessoa super eclética, não consigo me limitar apenas a um tipo de som… então eu tenho muita mistura de rock , pop, metal, new metal, jazz, etc … então gosto de fazer uma mescla de estilos que acaba sendo uma coisa bastante pessoal minha.

E como surgiu o Hellcats ?

Bom, eu sou de Santos onde eu tinha uma banda chamada Crucified por 7 anos, aí como vim pra SP não consegui ficar muito tempo sem tocar… foi aí que conheci as pessoas certas e acabei montando o Hellcats

Isso foi em 2006? Como resolveram começar o projeto , as criações de músicas , e composições ?

Então no começo eu montei o Hell pra tocar cover de Guano Apes, que é uma banda Alemã na qual eu sou completamente apaixonada… aí com o passar do tempo acabaram pintando as músicas próprias.

A partir desse momento a banda engrenou ? Como foi a recepção das músicas próprias ?

Acho que a partir daí a coisa se tornou mais séria. A minha intenção sempre foi encarar a música como algo profissional, viver disso. E na época a minha química com a guitarrista (Rita Marques) era muito boa, então as músicas foram fluindo facilmente.

E quando pintou a decisão de fazer a gravação da demo?

A gente já estava com bastante músicas prontas e sem material nenhum pra divulgar, aí acabou casando com uma proposta que tivemos de fazer uma trilha sonora para um programa chamado What´s Hot para um site americano. Então foi meio que gravamos na correria, a qualidade da demo num está lá as das melhores, gravamos ao vivo, e não tivemos tempo de mixá-la melhor pois o estúdio perdeu nossa máster

Jogo rápido:

4 bandas nacionais: Luxúria, Sabrina Samn, Condessa Safira, Pitty
Musica: oxigênio da alma
Hellcats: minha vida, minha alma, meu suor, minha razão de levantar da cama todo dia.
Um livro: violetas na janela
Nos tempos livres: compor, sair com os amigos, butecar… viajar.
Frase: Aqui se faz , aqui se paga!
(bem coisa de escorpiana né???hahaha)

Como tem sido a critica em relação a demo da banda?

Então, temos escutado algumas críticas com relação a qualidade do som, mixagem … mas isso vem mais da galera mais profissional, do ramo… tanto é que estamos regravando ela no momento… mas do resto do público em geral a galera gosta bastante das músicas, recebo bastante feedback positivo.

É sobre isso que eu iria falar , não foi uma exigência do programa norte-americano um material mais profissional? Até por que a demo tem um som de boa qualidade a grande maioria dos ouvidos. Mas nesta regravação sairá material novo?

Não, reclamaram de lá não hehehe menos mal! Então nesta nova demo pretendemos gravar praticamente todo nosso repertório, então vai acabar sendo um Cd completo

E a agenda da banda , tem sido favorável ?

Tem meses que é ótimo, que a gente toca praticamente todo fim de semana, e tem tempos que dá uma diminuída… mas creio que seja normal.

É uma parte complicada, na Europa por exemplo você tem shows quase todos os dias e publico para estes eventos , o Brasil esta longe desta realidade?

Infelizmente aqui no Brasil a galera não apóia tanto bandas independentes quanto lá fora, na minha visão. A gente possui mais fãs lá fora do que aqui no Brasil.

O que poderia ser feito para mudar isto?

Putz pergunta complicada rs… acho que a galera tinha que parar de babar ovo dos gringos e menosprezar o que é daqui… tem muita banda independente boa pra caramba por aí e que nego nem conhece. Muitas vezes de qualidades bem melhores do que lá de fora.

As principais influências da banda ?

Guano apes, sem sombra de dúvida é a que todo mundo da banda escuta e ama de paixão… aí de resto cada um tem uma vertente … eu já sou mais rock, pop… um dos meninos heavy metal, o Thiago por exemplo curte música eletrônica, então é uma mescla de tudo.

E as letras ? Pelo que eu entendi a banda busca demonstrar uma necessidade de fortalecimento interior , na canção “Drink U” é evidente a necessidade e o pensamento da bebida. De surge a inspiração para as letras , e por que tais mensagens ?

Então a Drink U eu tinha escrito há muitos anos atrás, que foi até que meio que uma sátira, e um lance meio subtendido. Eu escrevo muito sobre o que eu passo, então são sempre experiências próprias … nem penso muito no que irão pensar ou como irão interpretar.

E o que se pode esperar do grupo neste segundo semestre ?

Bastante novidades! Tem muita música nova, o CD também espero que saia antes de acabar esse ano … shows no interior e muito rock sempre!

E o que fazer para ter o show do Hellcats ? Como encontrar vocês ou ouvir ?

Então só entrar em contato ou pelo site: www.hellcats.com.br , lá tem vídeos, fotos, mp3 em streamming e pra download também ou pelo telefone (11)7340-8818.

Gostaria de agradecer você ceder seu tempo para o cultura em peso , pedir para você deixar a mensagem da banda ?

Eu que agradeço!!! Bom, obrigada de coração o carinho de todos e farei um apelo pra galera abrir os olhos pras riquezas musicais nacionais!

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas