Straight Edge, uma forma de viver o hardcore/punk

 

 

Por Roberto Negrete

Straight Edge é: pessoa envolvida com hardcore/punk que escolhe viver sem álcool, drogas (legais e ilegais), cigarros e afins, e assume a denominação.
Quando a idéia do “sXe” (abreviação de Straight Edge) foi criada no início dos anos 80 por Ian Mckaye e Jeff Nelson (The Teen Idles), com certeza eles nunca imaginariam a proporção que chegaria o que, inicialmente, seria algo simples no meio Punk/Hardcore.
O sXe surgiu em uma época em que o Punk encontrava-se em decadência pelo consumo de álcool e drogas, pessoas com grandes potenciais morriam ou viravam “zumbis” pelo uso desenfreado de entorpecentes.
Muitos Punks aderiram à idéia no início e assim o Straight Edge foi adquirindo força e popularidade pelo mundo.
O Straight Edge não surgiu como uma tentativa de descaracterizar o Punk ou desconstruí-lo como se é visto hoje em dia. Foi apenas uma nova visão de Punk, foi um meio de vivenciar a própria cultura Punk de outra forma, com outras perspectivas. Beber, fumar ou usar quais quer tipo de drogas não faz e nem nunca fez uma pessoa “mais” ou “menos” Punk que outra. A idéia do sXe surgiu com esta proposta.
Em meados da década de 80 a idéia foi se caracterizando por outras questões e fatores fora o não-consumo de drogas. O VEGetAriaNismo é uma delas, que embora muitas pessoas achem que seja uma “regra” para “ser” sXe, isso de fato não tem na a ver com a questão de usar ou não drogas. O VEGetAriaNismo foi herdado do Punk como uma idéia libertária de respeito a vida animal. Antes do sXe nascer, muitas bandas Punks falavam sobre libertação animal em suas composições.
Analisar o Straight Edge de hoje e compará-lo com o início seria um tanto assustador, pois o Straight Edge hoje com certeza está muito diferente, fora da realidade de 28 anos atrás.
O Punk sofreu muitas deturpações e mudanças do início até hoje devido à grande mídia corporativa. Podemos, também, ver isso claramente em várias subdivisões que através dos anos foram sendo construídas pelo próprio Punk. Com o sXe aconteceu o mesmo. Várias “classificações” de Straight Edge foram aparecendo, um exemplo que podemos ver claramente hoje são os “pro-lifers” (esses, essencialmente são vegans, anti-aborto entre outros fatores) e os “pro-choices” (em grande parte ateus/agnósticos vegans ou não), ambos Straight Edges, mas com algumas peculiaridades ideológicas diferenciadas. No início dos anos 90 houve, também, o surgimento de um movimento paralelo ao Straight Edge chamado “hardline” (linha dura), onde os adeptos eram extremamente radicais em suas idéias que chegavam a ser opressoras e doentias. Graças a esse tipo de gente o Straight Edge teve seu “filme queimado” quando se era comentado por pessoas leigas durante muito tempo e até hoje em dia. Ressalto que o movimento hardline embora tenha sido fecundado no Straight Edge, ele não foi parte do Straight Edge, pois desconstruiu todo o contexto do Punk.

Quais são algumas das bandas SXE mais representativas?
(ou, que mp3 eu devo procurar?).
1º Fase (1979-84) STRAIGHT EDGE PUNK:

*Teen Idles (ler mais acima) – banda sxe embrionária. 1979-80
*Minor Threat (ler mais acima) – banda que cunhou o termo e popularizou a idéia. 1980-83
*Government Issue – Banda extremamente irônica e original de Washington, no começo era um hardcore/punk furioso, e depois virou um rock com influências punks bem bacaninha. 1981-1990 (eu acho)

*The Faith – Também da mesma patota de Washington das bandas acima.

*SSD – Primeira banda de hardcore de Boston, primeira banda sxe fora de Washington e primeira banda “sXe militante”. 1981-85

*DYS – “A outra” banda de Boston. Junto com o SSD lançou as bases para o que viria dois ou três anos depois no sXe. O vocal Dave Smalley passou pelo Dag Nasty e agora vem ao Brasil todo ano com o Down By Law. 1982-84
*7 Seconds – Mesmo nunca tendo se assumido como “banda sXe”, o 7 Seconds (de Reno, Nevada) foi uma dos grupos mais influentes, tanto na música como nas letras, pioneiras na abordagem positiva, anti-drogas, anti-violência e anti-machismo. 1980-até hoje.

2º Fase (1985-90) YOUTH CREW:
*Youth Of Today – por volta de 1984, todas as bandas sXe da primeira geração tinham acabado ou virado metal, muitas haviam virado rock e mesmo as bandas de hardcore puro estavam ficando raras, todas acabando ou aprendendo a tocar e deixando o cabelo crescer… Mas, revoltados com essa situação, Ray Cappo e John Porcell formaram o Youth Of Today no começo de 1985 para trazer de volta o hardcore nos moldes de Boston e Washington e levar o sXe um passo adiante em termos de idéias, acrescentando à receita coisas como política e vegetarianismo. Geraram toda uma sub-cultura de imitadores e influenciados e o sXe nunca mais foi o mesmo. 1985-90

*Dag Nasty – Não é bem uma banda da segunda fase… Seria mais uma banda da primeira fase que chegou atrasada. Com Brian Baker (ex-Minor Threat) e Dave Smalley (ex-DYS), eram no início uma banda sXe, cuja música melódica e altamente original, influenciou muita gente. Uma das melhores e mais autênticas bandas de hardcore de todos os tempos (pelo menos os dois primeiros discos). 1985-89 (voltaram e lançaram um disco em 92).

*Uniform Choice – Enquanto o Youth Of Today reacendia a chama do hardcore positivo na costa leste, em Los Angeles havia o Uniform Choice. Altamente influenciados pelo Minor Threat, são os pais do straight edge californiano e seu LP “Screaming For Change” é um clássico, muito imitado, jamais superado.

*Slapshot – Veteranos de Boston, resolveram resistir à contaminação metálica e fazer em 85 uma banda sXe nos moldes antigos da cidade. Musicalmente muito influenciados pelo Oi!/punk rock britânico, eram bem diferentes das demais bandas sXe da época. Tinham uma briga famosa com a turma do Youth Of Today. Letras muito polêmicas, tirando barato e metendo o pau em todo mundo. Primeira banda sXe “malvadona”. 1985-até hoje.

*Straight Ahead – Primeira banda realmente sXe de Nova York. Apesar de serem meio esquecidos hoje em dia (talvez por nunca terem tido material relançado oficialmente), não devem nada a nenhuma outra banda desta discografia. Mais rápidos e agressivos do que qualquer outra banda sXe dos anos 80 (com excessão dos holandeses do Lärm), seus discos e shows eram um verdadeiro chute no estômago. Seus membros depois tocaram em bandas grandes como Youth Of Today, Sick Of It All, Agnostic Front, Helmet e Biohazard. 1985-87.

*Bold – Primeira cria direta do Youth Of Today (literalmente, eram uns molequinhos que andavam com os caras do YOT). Começaram com o nome de Crippled Youth em 1985, quando os membros tinham cerca de 12 anos de idade. Ícones e maiores representantes da estética “Youth Crew” (nome usado para descrever a segunda geração do sXe), com seus moletons de capuz, X na mão, cabeças raspadas, pulos e aquela coisa toda… 1985-90.

*Gorilla Biscuits – Outra banda clássica de Nova York, de sonoridade mais melódica e variada que seus colegas do Bold e do Youth Of Today. O único LP, Start Today, de 89 é considerado por muita gente como o melhor disco de hardcore de todos os tempos. 1986-91.

*Crucial Youth – Banda sXe paródia criada com o único intuito de tirar barato da cara da cena sXe da época. Músicas contra falar palavrão e a favor de escovar os dentes. Simplesmente genial. Hoje bandas sXe “zoeiras” são bem comuns, mas eles foram os primeiros. 1987-91.

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas