Recusa Armada

 

 

Perguntas: Cremogema
Respostas: André Comix

Desde a formação da banda em 2002, quais os materiais gravados pela banda?

R: Temos dois CD-Rs, gravados com poucos recursos tecnológicos. Igreja Assassina…
…Templo Maldito, gravado pelo selo Toskera Record´s e um comemorativo aos 5 anos da banda, gravado no Nappö Record´s. Ambos distribuídos pela Gritos de Revolta Distro e Tosco Todo. Participamos de algumas coletâneas, podemos citar: Lixeira Humana Vol. 6, Kompilação Libertária #1 e Punk Roça.

Você diz que a banda defende o ideal libertário anarquista, mas de que modo?

R: Além das idéias que expressamos através do som, aplicamos também ao nosso cotidiano. É mais uma questão mais individual do que coletiva, pois como habitamos em uma cidade mórbida e pacata, temos um espaço bem limitado, nos impedindo de expandir um pouco mais nossos ideais. Resistimos e persistimos, mesmo que seja restrito a uma simples troca de idéias com outros indivíduos. Até chegamos a organizar algumas ações diretas (Manifestação contra a Farsa do 7 de Setembro, panfletagem conscientizando sobre o verdadeiro propósito da data de 1º Maio, panfletagem alertando aos consumidores alienados na data da inauguração de mais uma corporação fascista na cidade, o Mék Câncer, participamos do plebiscito contra alca). Mas infelizmente muitas pessoas que estavam conosco nessa luta, acabaram se rendendo ao sistema patriarcal, alguns foram embora da cidade, outros se alienaram a consumo excessivo de álcool e drogas entre outras futilidades. Acreditamos que qualquer forma de propagação do ideal libertário é valido, exceto aos que visam lucros e “promoção pessoal”.

De que vícios sociais você fala quando empoem as idéias da banda?

R: São inúmeras formas de vícios sociais dentro da sociedade. Podemos citar, além de modismos e consumismo desenfreado, até uma “simples” piada com conteúdo discriminatório. Referir-se a um indivíduo, como: “Preto”, “Viado”, “Aidético” e etc… São pequenos vícios sociais que passam despercebidos, até mesmo dentro do movimento. Uma palavra ás vezes exclui, isola e machuca outros seres humanos, que são iguais a nós.

Sexismo, homofobia, xenofobia … assuntos complicados e delicados,mas que são defendidos pelo anarquismo que visa a liberdade de expressão.O que a banda faz para defender a causa?

R: Repudiando todo esse puritanismo imposto pelo estado e geralmente vivendo em conflitos constantes com indivíduos e órgãos de alienação/repressão, se opondo a essas mazelas sociais. Também através de zines e informativos, tentamos conscientizar indivíduos sobre essas questões.

Formação atual? Por quais formações a banda já passou?

R: Adriano (Zóio) – Vocal, Gustavo – Guitarra, André (Comix) – Baixo e berros e Beto – Batera e gritos. Já passamos por várias formações. Os únicos que estão desde a 1ª formação, sou eu (Comix) e o Gustavo. O Adriano fez parte da 1ª formação, mais saiu da banda em 2006 por motivos pessoais, retornando agora em 2008. Tivemos três bateristas desde a 1ª formação, o Charlão que saiu por falta de interesse, o Manga que infelizmente saiu pois foi embora da cidade e o Gordinho que saiu por conflitos ideológicos e outras coisas. De 2003 a 2006, tínhamos um vocal feminino na banda, a Tila, que também saiu da banda em 2006 por motivos pessoais.

No tempo em que a banda ficou parada você pensou que tinha acabado?

R: Não! Jamais chegamos a pensar que a banda havia acabado, apenas sabíamos que estávamos tendo dificuldades em arrumar um baterista que se entrosasse conosco, no som e nas idéias.

Melhor apresentação da banda para você?

R: Acredito que em Osasco, Cerqueira César, Santa Catarina e Bauru, tivemos uma melhor apresentação. A banda estava mais entrosada, erramos bem pouco e os caras tomaram uns goles a menos (rsrsrs).

Influências do grupo?

R: Ilimitadas, assim como a formação de idéias que não obedece nenhum padrão. Isto evidencia o caráter libertário desse trabalho anti-melódico.

Bate e volta:

4 bandas internacionais : Sin Dios, Cripple Bastard´s, Tämpere S.S. e Doom.

4 bandas nacionais: Social Chaos, Sick Terror, Bulimia e D.Z.K.

1 livro: História das idéias e Movimentos Anarquistas

1 álbum: —–

nos tempos livres: Ler, escrever, tocar e tomar uns goles.

uma frase: Se você resiste como uma questão de hábito, você transforma a resistência em arte!!!

Cpi’s que viraram “pizza”,políticos absolvidos, jovens espancando diaristas, esse é o caminho da sociedade?
não mais solução?

R: É o caminho para o fim! Somente pessoas injustiçadas, que não tem condições básicas de sobrevivência, e ainda por cima são reprimidas por esse sistema vilipendioso e excludente… “Só Ladrão de Galinha que Vai Preso!!!”. A elite sempre sai impune as atrocidades que cometem, pois o poder corrompe as pessoas, e a ganância humana vai acabar de se auto-destruir e ainda destruir o pouco que ainda resta da natureza e dos animais. A ignorância e a violência gratuita de jovens alienados, corrompidos pela “lei do mais forte”, é gerada além de preconceitos, aliadas ao consumo excessivo de drogas acarretando atitudes inconseqüentes se escondendo atrás de seus familiares burgueses, ou até mesmo de um pedaço de papel… A solução está em nossas consciências, e nas atitudes que tomamos no dia a dia. Sempre procurando informar a massa manipulada, começando a mudar por nós mesmos. Preferimos morrer de pé do que passar o resto da vida ajoelhados perante aos tentáculos desse maldito sistema. Controlam nossas vidas, nossa individualidade, mas jamais controlaram nossas mentes, livres e rebeldes.

Cartões corporativos…devem ser mais rígidos o uso deles?

R: Não deveriam nem existir! É apenas mais uma arma dos capitalistas para obterem lucros cada vez mais abusivos, em troca de um status fútil e ignorante.

Momento na banda que você nunca esquece?

R: Quando estamos em contato com as pessoas na Gig´s!

Projetos para essa temporada?

R: Tocar bastante, levar nossa mensagem cada vez mais adiante, rompendo fronteiras e quem sabe gravar um novo play com uma qualidade gráfica e sonora um pouco melhor.

Do inicio a 5 anos atrás o que a banda mudou?

R: Além da formação, o som está mais pesado e as letras um pouco mais engajadas nos assuntos que abordam.

É realmente necessário ter um ministro da igualdade racial? Isso não aumenta de certa forma a discriminação?

R: Não! Nenhuma forma de governo humano nos trará conforto.
As pessoas precisam libertar suas mentes, perceber que em nossas veias correm sangue de negros, brancos, índios, cafusos e mamelucos, somos multiétnicos! Quando se discrimina alguém, está negando a si mesmo. Todos somos livres e não precisamos ser regrados, legislados e nem tampouco regulamentados. “Os monarcas querem dominar o mundo, os anarquistas a si mesmos”.

Na primeira sessão de 2008, a Câmara de Dois Irmãos, a 60 quilômetros de Porto Alegre, aprovou aumento de 80% para os vencimentos dos vereadores, prefeito, vice e secretários municipais a partir de janeiro de 2009. A reunião foi marcada para a noite de segunda-feira de Carnaval. O debate se estendeu até o início da madrugada desta terça-feira. O vereador Gerson Schwengber (PT) preferia que o tema fosse discutido por mais tempo e que o reajuste fosse menor para não exaltar a população, mas foi vencido por 7 a 1. A corja continua seus ataques, como podemos acabar com isso?

R: Nas próximas eleições, não jogue seu voto no bolso desses políticos fascista, que sugam todo esforço (e migalhas que chamam de salário) do povo. Não é mudando de político que vamos melhorar nossas condições, mas sim melhorar as condições deles… A política é um jogo sujo de interesses, onde só os poderosos jogam, e o povo é coadjuvante (ou seja, o palhaço) sem valor algum, a não ser para fornecê-los dinheiro com impostos abusivos para cada vez mais eles desviarem verbas, (ou tapar rombos de desvio verbas) e o voto que a personalidade humana ainda se deixa enganar por promessas que não saem de meras palavras e projetos, expostos pelo 4º poder (a t.v.), onde elegem e fazem o que quer, desde que seja por interesse próprio e jamais pensam no povo, seja ele pobre ou rico, enquanto houver poder, todos nós iremos se fuder!

Mensagem da banda para este ano?

R:A mensagem é de agradecimento pelo espaço cedido, e esperamos que continue com este trabalho underground/libertário, resistindo e sem se vender. Agradecemos também as pessoas que leram esta entrevista, refletiram, discordaram e deixamos aí nosso contato para toca de idéias, materiais e pela amizade:

A/C: André Comix
R: Cassimiro Cardoso # 402, Vila Regina
Itapetininga/$P CEP: 18209-340
www.myspace.com/recusarmada
[email protected]

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas