Seu Juvenal

 

Perguntas: Cremogema
Respostas: Seu Juvenal

Formçação do Seu Juvenal

Bateria: Renato Zaca
Guitarra: Zaca
Baixo: Tito
Vocal: Bruno

11 anos de banda, o que falar de todo esse tempo?

R: É meio complicado mas o que aprendemos é que o quanto mais organizarem divulgar, e estar sempre tocando. Seu
Juvenal é uma família, esta é formação mais forte, só a morte nos separa.

“Caixa preta” o novo trabalho de vocês, como foi a produção dele?

R: Totalmente independente, da capa a mixagem! Já tivemos material gravado com produtora, com incentivo
da cultura, mas desta vez foi nós mesmos. Aprendemos e ganhamos experiência para fazer isso.

Por que “Seu Juvenal”?

R: Uma homenagem ao Seu Juvenal Alves Vilela, avô de dois integrantes da banda. E também por que queríamos um nome
da roça mesmo.

Como vai ser hoje?

R: É nossa terceira apresentação em Uberlândia, mas a primeira profissional. Esperamos a reação de novas músicas que iremos tocar.

Triângulo mineiro é um pólo do rock?

R: Está muito melhor do que era, se organizando agora, público tem, excelentes bandas tem. Há também um respaldo
maior na organização para as bandas.

Há alguma maneira de rotular o estilo de vocês?

R: Não, somos uma banda de rock brasileiro.

Melhor show que fizeram juntos?

R: O da “Obra” em Belo Horizonte, e que a terceira viagem nossa com esta formação.

Diversificação da cena para a banda, cada um mora em um lugar diferente?

R: Sim, em Ouro Preto não tem cena, Belo Horizonte é bom para se tocar, estrutura de capital …

A banda quase acabou algumas vezes, por quais motivos?

R: Morte de integrantes.

Qual o objetivo de tocar quando montaram a banda?

R: Melhorar o que já fazíamos, sempre sair do amadorismo.

Letras?

Nunca conseguimos ser alegres nas letras, falamos do dia-a-dia do trabalhador, não tem como ser alegre!’

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas