Tsunami HC

 

Perguntas: Cremogema
Respostas: Emilio

Pra quem acredita que a França é somente moda e ruas bonitas de Paris , se engana totalmente. Este país esconde em suas entranhas uma cena underground com boas bandas e um exemplo disso é a TSUNAMI banda de hardcore de qualidade altíssima. Em minhas mãos o cd second life uma auto produção do grupo , que ficou muito boa . Este ep conta quatro faixas de muito peso . A mistura de metal ao hardcore é evidente e a temática da banda é bem perceptível a qualquer leigo que não saiba uma palavra em Frances.

1- Você pode nos dizer como anda a cena underground na frança de um modo geral?

EMILIO: a cena francesa esta como no Brasil, muitas bandas e sempre crescendo muitas bandas boas e a tendência e sempre ter mais e mais bandas tocando aqui e ali.

2- TSUNAMI tem tocado constantemente?

EMILIO: sim.. tsunami esta na mesma situação de muitas bandas, algumas vezes estamos ai nos afogando nesta onda de bandas que surgem de todos os lados e não tocamos muito e outras vezes tocamos mais porque recebemos mais convite para tocar e porque organizamos mais shows.

3- Em menos de um ano saiu a primeira demo de tsunami, por que tanta pressa em lançar o primeiro material?

EMILIO: porque a oportunidade se apresentou, hoje nao falamos muito deste registro e nem tocamos mais as musicas virou historia.

4- Entre 2005 e 2006 aconteceram algumas mudanças na banda, você pode relatar quais?

EMILIO: entre 2005 e 2006 mais da metade da banda saiu, falta de acreditar e falta de afinidade penso também que quem saiu procurou fazer uma musica mais descontraída sem muito compromisso.

5- Influencias ?

EMILIO: punk, crossover, hardcore, metal, thrash

6- Na historia do underground Frances , qual foi a melhor época e por que ?

EMILIO: nao sei como responder, gostaria de dizer hoje não e a melhor época mais e o melhor momento porque todo mundo pode ter uma banda.

7- Bate e volta:

4 bandas nacionais:

EMILIO: no brasil: ratos de porão, garotos podres, cólera, sepultura / na frança: kickback, lofofora, trust, massacra

4 bandas internacionais:

EMILIO: rage against the machine, cro-mags, napalm death, the exploited

1 cd:

EMILIO: crucificados pelo sistema (.ratos de porão.)

1 livro:

EMILIO: un dia de furia.

Nos tempos livres:

EMILIO: vale tudo.

Uma frase:

EMILIO: no mundo do rock nada se cria tudo se copia.

8- Por que a influencia tão grande do HC brasileiro?

EMILIO: porque eu sou brasileiro mais não e tudo, o Brasil tem seu valor e uma musica que não fica devendo nada a nenhum pais do mundo.

9- Quais os principais festivais franceses na atualidade?

EMILIO: hellfest e free edge fest.

10- Quais os projetos para o resto de 2009?

EMILIO: nada de ilusão, continuar compondo e fazendo shows e se possível assinar um contrato que vale a pena.

11- Alguma turnê no Brasil esta próxima ?

EMILIO: não.. a gente trabalha e fica difícil sairmos todos ao mesmo momento de ferias para tocar no Brasil, fica longe custa caro e ninguém pelo momento no Brasil propôs uma turne pra gente.

12- Contatos?

EMILIO: WWW.MYSPACE.COM/TSUNAMICORE

13- Mensagem da banda :

EMILIO: obrigado a todos ai no Brasil especialmente aqueles que passam uma vezes ou outra no myspace e nos deixa um comentário amigo, as bandas de metal hardcore ou de hardcore do Brasil que estão de viagem para a Europa e que passam pela frança pode escrever pra mim no myspace du tsunami eu posso programar um apresentação de vocês aqui

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas