Exterminate – True Brutal Death Metal

                                                                         
Buenas gurizada!Eu sou a Érika Teixeira e como nova Colunista do Cultura em Peso, a primeira banda que eu resolvo entrevistar é a Exterminate, que faz um True Brutal Death Metal, donos de respeito e admiração no underground gaúcho e que vem ganhando a cena em território nacional! Entrevisto o baixista Marcelo Feijó, em nome da banda:


1- Bom, a banda foi criada em 2005 e em seguida sofreu algumas modificações na formação. Nos conte como foi e apresente os integrantes da banda:

  Como todas as bandas, passamos por varias formações… entram uns, saem outros… o problema é que os caras entram e levam a banda na brincadeira. Banda é serio, é como se fosse um emprego, tem que ter horários e regras se não, não rola. Passamos por situações difíceis, mas ai entrou o Adriano Martini (mental horror) na banda e ai nos acertamos. Nossa formação atual é:

Adriano Martini – Vocal/Guitarra, Rafael Lavandoski – Guitarra, Iuri Ravél – Bateria e Marcelo Feijó – Baixo.

 

2-Gostaríamos de saber que bandas são as principais influências musicais de vocês.

Bom as composições da banda somos nós todos que fazemos, tanto as musicas quanto as letras, cada um passa uma idéia para o outro e flui normalmente… como fizemos uma demo com 4 músicas apenas não pegamos um tema único, cada música fala sobre um assunto diferente. Falamos sobre este mundo louco que vivemos hoje e sobre religião.

 

3- Quem faz as composições das letras, e quais os principais temas abordados pela banda? Tem algum foco em específico?

 Nossas influencias pra nós são as melhores… CANNIBAL CORPSE, NILE, KRISIUN, MORBID ANGEL, SLAYER, ANGEL CORPSE, HATE ETERNAL… são tantas que posso falar de muitas mais, mas estas são as que escutamos com mais frequência.

 

4- Ter uma banda de metal hoje em dia é pra quem tem paixão pelo que faz, por que o reconhecimento e a valorização merecida ás banda, está cada vez mais difícil. Nos fale do que vocês acham do “cenário Gaúcho” nesse ponto.

Fazemos porque gostamos mesmo, está no sangue. Dá pra se dizer que é paixão mesmo… reconhecimento da banda vai depender muito de nós mesmos, porque temos que fazer pra ser reconhecidos e valorizados também… temos que tentar ser o mais profissionais possível pra depois ganhar os merecidos reconhecimentos.
Sobre o cenário gaúcho, estava bem pior antes! mas de uns anos pra cá mudou bastante, tem aparecido muitas bandas boas e tem vários festivais muito foda. Dá pra citar o STORM feito pelo Leonardo Zneijdr que é muito bom, ele divulga muito as bandas e dá uma estrutaura muito boa, apareceu também o Marlon Mitnel que trouxe aqui para Porto Alegre o festival Garganta do diabo que é muito bom… e ele vai fazer um mostruoso festival de 3 dias em Gravataí que vai ser excelente! não dá pra reclamar. Tem o Flávio Soares que faz o Munto Metal. Então a cena cresceu muito, o que falta é o pessoal prestigiar mais as bandas daqui, porque tem bons festivais e boas bandas.

 

5- Em 2009 a banda lançou sua primeira Demo intitulada “Insane Fate”, conte-nos sobre como tudo aconteceu, desde gravação, estúdio, músicas, apoio e tudo mais.

A gravação já estava mais do que na hora, pois já estamos com as músicas prontas e faltava apenas serem gravadas… mas por problemas de formação da banda sempre atrasava, dai depois que firmou gravamos no Studio HURRICANE, e foi gravado e mixado por Sebastian Carsin, que é simplesmente um monstro no que faz… e tivemos o apoio dele que nos ajudou bastante. Foi bastante trabalho, mas no final gostamos muito do resultado. Gravamos independente e sem apoio financeiro.

 

6- Hoje em dia, o CD é um artefato de luxo… não é mais como antigamente em que as bandas faziam uma música foda e vendiam milhares de cópias. Na opinião da banda, isto faz os músicos se esforçarem mais para fazer um trabalho melhor ou acham que a internet já ganhou essa parada, com a divulgação gratuita?

Concerteza gravar um CD com a arte da capa e tudo o que tem direito é o sonho de toda a banda que luta pra isso, mas sabemos que não é tão fácil assim… o esforço é fundamental pra se ter uma gravação de qualidade, já a internet venho com tudo, e ajuda e atrapalha ao mesmo tempo. Para quem quer sacar o som de uma banda e quer baixar o som, tem o myspace que ajuda até mesmo quem não tem muito recurso financeiro pra comprar o CD e prefere baixar pela internet.
Hoje em dia a internet ajuda muito para fazer a própria divulgação da banda em relação a show’s e músicas gravadas.

 

7- Na minha opinião, tanto crítica, como no lugar de fã… a música que deu nome á Demo, a “Insane Fate” é a música mais brutal, técnica e destruidora da banda.. e na opinião de vocês? Qual a preferida da banda, e por que?

Baaaah.. muito obrigado Érika, a INSANE FATE realmente é uma música muito brutal, nós achamos ela a melhor das 4 gravadas, ela tem todos os fatores para uma musica agressiva… riffs rápidos, muitos solos de guitarras e uma pauleira na bateria…acho que o ela soa bem o que é death metal.

 

8- A Exterminate é muito reconhecida pelo carinho com que lida com os fãs e a humildade com que trata os mesmos. Vocês acham que isto ajuda de alguma maneira na propagação da banda?

Olha… o que fazemos para quem gosta da banda é o mínimo possível que se pode fazer pra quem curte o seu trabalho, não somos estrelas e nem metidos a fodões, quando você sobe no palco e toca e depois vem alguém e fala pra você que gostou, isso não tem preço. Quem faz a banda é o publico, a banda tem que ser humilde sim… para o Exterminate vai ser sempre assim e quem quiser chegar pra trocar uma idéia ou até mesmo falar qualquer tipo de assunto vai ser bem tratado e vamos dar toda a atenção que merece. Se ajuda a propagação eu não sei, mas que vamos continuar sendo humildes e simples, isso vai sempre acontecer.

 

9- Queria agradecer pelo contato, desejar sorte e sucesso na carreira de vocês e pedir que deixem uma mensagem da banda, link’s, e como adquirir material!

 Bom eu que agradeço a você Érika Teixeira pelo carinho com a gente e agradecemos muito também ao Cultura em Peso pelo espaço cedido á nós…
Queremos pedir que apoiem o undergrond pois as bandas precisam muito disso, o público que vai e incentiva é o que dá o gás pra continuar fazendo um bom e brutal death metal.
Segue aqui o link da música de trabalho que estamos divulgando para nosso CD que está em gravação:

e quem quiser nosso material e shows, pode entrar em contato comigo mesmo pelo facebook, que está como Marcelo Feijo…
Muito obrigado a todos… abraço!

Comentários

comentários

Hailz! Eu sou a Érika Teixeira, amante do bom e verdadeiro metal! Nasci em Porto Alegre, mas moro atualmente em Tramandaí - Rs. Escuto metal desde que era criança por ótima influência do meu irmão e do meu padrinho. Desde cedo sempre gostei de cantar, e sempre tive interesse por instrumentos musicais. Atualmente sou vocalista na Horda Old Spectre, de RAW Black metal, e Vocal/Guitarrista da We Cum Blood for Pleasure, de Grind Core. Sou uma baita fã de Cannibal Corpse, amante do metal extremo primeiramente, e depois de várias outras vertentes do metal... sem esquecer das raízes, o bom Blues. Adoro tatuagens e tudo ligado ao estilo próprio de cada pessoa, desde personalidade até seus rabiscos no corpo. Sou uma pessoa de gostos extremos, ou é sim ou não. Gosto de bebidas fortes e secas.. não suporto nada muito doce. Admiro pessoas com atitude, e de idéias insanas... tenho pensamentos complexos e sentimentos fortes. Sou fiel á minhas ideologias, sem contradições. Amante da leitura, devoro os livros com vontade e paixão... e tenho como maior hobby a Gastronomia, a qual eu pretendo me dedicar fazendo Faculdade para mesma. Sou administradora das Pages "Belas do Metal" e "Belos do Metal" no facebook, onde posto foto de nossos (as) Headbanger's e alguns sons também. E agora sou Colunista da "Cultura em Peso" e espero colaborar e apoiar a cena Underground aqui, destacando a Gaúcha! Conto com o respeito, apoio e críticas de vocês! Stay Metal!

Matérias relacionadas