“AMY MIRET’ e a banda NÁUSEA

Hoje venho falar de uma das mais importantes bandas dentro do subgênero CRUST, um derivado do punk que vem ganhando espaço dentro do cenario underground mundial.

Um texto na integra que possivelmente exclusivo no Brasil falando sobre a vocalista “AMY MIRET” e a lendária banda NAUSEA.
Quando o metal e o punk começaram a produzir seus subgêneros descendentes, um dos primeiros gêneros a surgir era um som crú, sujo, tosco com forma de thrash, tingido de punk chamado CRUST.
Um subgênero formado por jovens conscientes com a sociedade e com a situação do mundo moderno, na mesma linha dos jovens punks dos anos 70, porem mais politizados e ativistas e tendo uma ideologia totalmente anarquista, e dentro desse subgênero esta uma das bandas iniciantes do Crust, o NAUSEA.
Banda remanescente de Nova York que e citada como uma das integrantes da ascensão do Crust americano. Os integrantes do grupo também eram envolvidos com as comunidades dos “Squats” locais.
As letras do Nausea eram apocalipticos e suas capas de disco sempre tinham ligação direta com obras de arte, e suas letras eram influenciadas pelas questões sócio-politicas daquela epoca enfatizando temas como a administração de Reagan nos USA, o norte da URSS durante a Guerra Fria e as ameaças de guerra nuclear com a União Soviética.
Musicas focadas em temas como ambientalismo, extinção humana, poluição, critica ao cristianismo, direitos dos animais sendo assim umas das poucas bandas com fundo realmente social.
O grupo iniciou com os vocalistas “Amy Miret’ e “Neil Robinson’ com um som mais puxado para as raízes do “hardcore punk” tradicional. Com a saída de Robinson em 1988 e a entrada de “Al Long’, o Nausea experimentou um som mais pesado e mais puxado para o thrash metal.
O Nausea foi uma banda inovadora dentro do Crust flertando entre o hardcore punk, thrash metal incluindo também toques de doom metal e reggae em sua música, e incorporando vocais tanto masculinos quanto femininos.
Apos a saida de “Neil Robinson’ em 1988 que foi substituido por “Al Long’ a banda começou a fazer um som mais obscuro e mais pesado.
O Nausea era liderado pela vocalista “Amy Miret’, a principal personagem dessa história que esteve na banda desse seu início ate seu final em 1992 foi uma mulher forte que carregou a dificil e pesada bandeira feminina para as batalhas de todas as anarco-punks dentro da música.
Amy ficou mais conhecida por ser esposa de “ROGER MIRET’ do “AGNOSTIC FRONT’ e nesses anos de ouro(anos 80) era tida como a “Rainha do Crust’ carregando essa coroa.
Mais mesmo fazendo parte de um subgênero que mais progredia em termos de ideologia se comparando com a outras vertentes do punk e hardcore Amy ainda era tratada com discriminação e sexismo, lembrando que no inicio dos anos 80 as mulheres ainda eram minoria dentro do cenario do rock, e mais incomum ainda uma mulher fazendo vocal numa banda hardcore.
Amy teve varios obstaculos a enfrentar e não havia uma mulher melhor para aceitar este desafio anti-patriarcal, que ela não so pulou estes desafios como definiu um estilo “gutural feminino’ nesse meio.
Sem sua influência, bandas como “After The Bombs’, “Appalachian Unit Terror’, Agrimonia’ certamente nunca viriam a existir e Amy foi a primeira mulher de qualquer forma de música underground que viria a incorporar o rosnado gutural sem ser “masculino’, quebrando barreiras e tantos outros estereotipos ao longo do caminho.
Apos a banda se separar um 1992, o paradeiro de Amy tornou-se desconhecido do publico, não ha nada sobre ela apos esse período, nem na internet nem em qualquer meio. 
Ela e Roger se divorciaram e parece que ela dedicou grande parte de seu tempo para criar, cuidar e educar seu filho com Roger.
Onde quer que Amy a Rainha do Crust esteja, podemos esperar que ela esteja bem e feliz longe dos palcos.
“John John Jesse’ (baixista) se tornou um reconhecido artista plastico, além de ter montado uma banda com membros do “Choking Victim’ chamada “Morning Glory’. “Roy Mayorga’ (baterista) tocou no “Shelter’, “Soulfly’, ABLOOM, “Stone Sour’, e preencheu a vaga de “Igor Cavalera’ no Sepultura temporariamente em 2006, além de tocar na reunião do “Amebix’
Registros:
Em um dos poucos registros que existe de Amy e um documentário americano sobre “NYHC'(A Cena Hardcore de Nova York). Lançado em 1999 o filme possui entrevistas de figuras  da cena hardcore de Nova York como Roger Miret(Agnostic Front), Jimmy Gestapo(Murphy’s Law), Koller Low(Sick Of It All), Fred Madball(Madball), Toby Morse(H2O) e muitos outros.
 
Discografia:
Nausea demo-tape (independente – 1988)
Extinction LP (1990 Profane Existence/ Meantime Records)
Cybergod 7″ (Allied Recordings – 1991)
Lie Cycle 7″ (Graven Image Records/ Skuld Records – 1992)
Alive in Holland VHS (Channel Zero Reality/ Profane Existence – 1993)
Extinction: The Second Coming CD (Selfless Records – 1993)
Punk Terrorist Anthology Vol. 1 2xLP/CD (Alternative Tentacles/ Blacknoise Records – 2004)
Punk Terrorist Anthology Vol. 2 2XLP/CD (Hellbent/ Blacknoise Records – 2005)91-04-28-nausea

Comentários

comentários

Anarquista, ativista e militante e desde que entrou de cabeça no underground punk brasileiro em 1982 não tem sido outra pessoa desde então!! Desde quanto descobriu o quanto amava o punk e o hardcore, tem tocado, frequentado e ajudado a organizar shows sem parar! Tambem fez parte do inicio da cena “metal” de São Paulo, nos anos 80. Na metade dos anos 80(1985/86) descobriu, se interessou e se apaixonou pelo “Crust Punk Movement’ que para ele o Crust e a mais legitima, verdadeira e original vertente punk que existe. Se identificou imediatamente com as ideais que são anarquismo, ativismo, libertação animal, ação direta, “Squatt’s”, igualdade, direito das minorias e por ter uma postura totalmente anti-racista.. E envolvido também com o movimento “squatter’ e Okupa e sempre procura conhecer novos espaços!

Matérias relacionadas