Resenha Blind Pigs – Capitânia

blind-pigs-capitania

(Sweet Fury Records / Zona Punk, 2013)

A expressão “lobo do mar” sempre alude a um sujeito (ou um conjunto deles), cuja experiência no mundo fora marcada por adversidades, intempéries e situações intempestivas. No entanto, navegando com os ventos ou à deriva, ora vencendo, ora sendo vencido, este mesmo sujeito – cheirando à maresia, suor e sangue – chega sempre ao seu destino e nada se arrepende do que fez ou deixou de fazer. Olha pra trás e tira daquilo tudo algo que o impulsiona a seguir em frente.

“Capitânia”, o mais novo disco do Blind Pigs, traz consigo este ambiente/sentimento em praticamente todas as suas faces: no próprio título do álbum, em sua composição gráfica e principalmente nas letras. “Sentinela dos Mares”, a faixa mais intensa do disco, talvez seja a que mais traga essa idéia incorporada e, em certo sentido, faz referência direta a própria trajetória da banda durante todos estes anos de estrada. “Já cruzei o horizonte, não tenho nada a temer. Na vitória ou derrota aprendi a nunca me render” é o refrão da canção, cantado de maneira sempre incitante e forte, como costumam ser os refrões do Blind Pigs.

“Incorruptível”, que abre o disco, “Punhos Cerrados; União; Ferro, Graxa; Antro de trastes e Cinco Cadeados”, também carregam a mesma mensagem, embora de forma mais metafórica. Em “União”, a banda ainda brinda, como de costume, à fiel legião de inconformados, apresentando um som encorpado, num tom que me fez lembrar Dropkick Murphys.

A faixa atípica recai sobre Adolescência acabou, a última do disco e única composição dotada de uma reflexão mais melancólica em relação à vida. No mais, o punkrock/hardcore pegado e sem frescuras de sempre. Riffs rápidos, intensidade nos vocais e backing vocals, bateria bem marcada, com utilização fantástica dos pratos de ataque.

Um retorno e tanto dos velhos e cegos porcos. Vale a pena conferir.

 

 

Comentários

comentários

André Eitti é colaborador do Cultura em peso desde maio de 2013 e atua com e-zines desde 2005, apoiando e divulgando a cena independente nacional.

Matérias relacionadas