Agosto Negro 2013: Cobertura fotográfica e resenha

logoagosto

Agosto Negro 2013

Desta vez sem dificuldade para encontrar o local, cheguei as 10:00 em ponto.
Montei a minha barraca, fui pra praia e voltei pro festival.
Não irei falar de todas as bandas desta vez.

Soulthern tocou pra quase ninguém, mas fez um show voraz.
No Filters se apresentou para poucas pessoas.
Puredin foi o ponto onde as pessoas começavam a se aglomerar, e os criciumenses não deixaram a desejar.
Khrophus, de fato foi a primeira vez que eu vi eles tocarem ao vivo, e o numero de gente a frente do palco ja dizia o que estava por vir, so o Matanza colocou
mais gente a frente.
Caos, desgraça, sacrifício, guerra, assim foi o show da Khrophus, onde o frio se tornou coadjuvante tamanha fúria.
O ímpeto infernal do trio de Florianópolis provocou estragos na roda e no mosh,

khrophus é literalmente Death metal.
Red Wine fez um ótimo show, e não foram poucos os que se divertiram ao som da banda.
Symbolica como sempre tocou afinadíssima, mas teve o frio na contra mão, o que obrigava o grupo  a convocar o publico a vir pra area de show.
Matanza….
Matanza e festival é significado de casa cheia.
Esta é a terceira vez que vejo Matanza tocar, as outras duas foram em Uberlândia- Mg, a energia é a mesma, pude ver um China mais energético que
antes, e um Jimmy que não muda suas características, mal encarado e divertido numa dose promíscua, o que em parte é natural do Matanza.
O grupo tocou em sua maioria clássicos da banda enquanto o porrete rolava solto la embaixo.
Matanza é casa cheia e publico insano, e isso não tem discussão.
Leopoldo e Valeria foi outro ponto fortíssimo do festival.
Marcel Fidelis deu uma aula de guitarra, mostrando que a nova geração esta de pé pra dar continuidade ao bom e velho rock n roll, esta foi  a primeira vez que vi de fato o Leopoldo e Valeria tocar e gostei, mesmo que rock n roll não seja meu estilo.

Domingo:

Turn Off abriu o dia, e quase todo mundo estava dormindo, apesar da boa apresentação da banda, tinha apenas 5 garotas assistindo, uma pena ja que a
banda fez uma boa apresentação.
Das Cavernas, foi o grande nome do Domingo, fizeram um som arrojado, sem escrúpulos e nada recomendado para menores de 18 anos. Sexo e putaria e a
filosofia deles, rock n roll pra gente grande.
Soul of War, primeira vez no palco, primeiro DVD.
Isso mesmo, os caras inovaram, tocaram pela primeira vez ja gravando um dvd.
As primeiras musicas não me agradaram,  mas do meio para o fim da apresentação a historia mudou de figura e mostrou uma banda consciente e pesada!

E vale lembrar, acreditem na moça do tempo, ela não erra muito a previsão do tempo, muitas barracas voaram durante a noite, molharam bastante devido a
descuidos dos campistas.
A minha barraca não entrou nenhuma gota d’água hahahaha.
Agosto Negro 2013 foi um puta festival, com ótima estrutura e um set list bem diversificado pra agradar todo o público.

 

Fotos e resenha por Cremogema.

comentem no proprio site.

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas