Bring the noise III (Review incompleta)

bring the noise III

 

Infelizmente não poderei falar de todas as bandas, por motivos maiores tive que sair bem antes do final, mas é claro, o que eu presenciei tentarei colocar aqui.

 

Estava marcado para começar as 18:00, mas quem chegou cedo teve que esperar, os primeiros acordes só puderam ser ouvidos as 20:10.

A Turn Off  foi quem deu inicio as atividades, nesta noite não emplacou, talvez o calor foi quem atrapalhou mais os meninos, e outro fator foi a ânsia por um som pesado de quem estava na frente do palco, a banda abusou dos covers, mas foi tocando Blitzkrieg Bop dos Ramones já no fim que o publico se agitou.

Enemy ….

Eu já elogiei os caras aqui, mas ontem eles deram aula, e com duas músicas tocadas o peso do hardcore dos caras mudou o ambiente, o chão tremeu e a roda abriu.

Vi uma banda mais madura, adulta, mais profissional e preparada,  e vi uma mudança importantíssima, um Fransley mais ativo, mais chamativo e mais interativo com o público, algo que outrora era mais mecânico, pois não importa quão boa seja a banda, se o vocalista não puxa o carro, o negócio não anda. Mais que aprovada a apresentação da banda com excelentes músicas próprias, um gingado vindo das terras do norte influenciado pela cultura latina.

Sem 7 Céus, fez um show repleto de covers e só mencionou uma musica como própria.

No Reply …

Eu já conhecia o som deles, fizeram um show sem erros, impecável, como eu já esperava , mas não teve reciprocidade, o público não respondeu, o que demonstrou mais ainda o profissionalismo dos caras, que não tiraram o pé em momento algum.

Não pode ver End Of Pipe ,  Puredin,   Bullet Bane e   Abraskadabra , mas pela qualidade das bandas acredito que tenham feito memoráveis shows.

Evento no Facebook:

https://www.facebook.com/events/546522842076272/?fref=ts

 

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas