Distraught

distraught

 

1- Voltando la no inicio dos anos 90, como surgiu o Distraught?

Na época tocavamos apenas por diversão, e tinhamos muito o que aprender ainda em relação a tudo no meio da música, mas era divertido.

2- Ainda sobre os anos 90,  o que tinha de bom naquela época que hoje vocês sentem falta?

Acho que todos eram mais unidos na cena Metal nessa época, era mágico o fato de comprar um vinil e convidar os amigos para escuta-lo todos juntos em sua casa heheh.

3- Desses 23 anos de muita luta altos e baixos, essa seria a melhor fase da banda?

Eu diria que já passamos por maus momentos mesmo, e continuar chutando as pedras do caminho é algo dificil mas que dá um crecimento cada vez maior, mas sem dúvida que estamos em uma ótima fase , amadurecidos mas sempre tendo que aprender mais.

4- Recentemente foi divulgado que uma banda argentina fez um cover de vocês, como receberam esta informação?

Gostamos muito da ideia, a Climatic Terra é uma grande banda de amigos nossos que já tocamos muitas vezes aqui no Brasil e Argentina juntos, além do som  ter ficado massa.

5- “The Human Negligence Is Repugnant”  se tornou viral para os headbangers tamanha a qualidade, conte-nos sobre o processo de criação, produção dele, quem fez arte grafica, quem produziu, como tu acnteceu para dar este execelente resultado final?

Esse album realmente vem trazendo resultados positivos pro Distraught. Começamos a compor e fazer uma pré produção na casa do Ricardo(Guitarrista) ele e o Marcos( ex Guitarrista) criavam os riffs e eu ia encaixando as vozes.Gravamos em um estudio próximo aqui de Porto Alegre com a preocupação de ter uma boa captação de tudo e depois fomos pra São Paulo para mixar e masteriza lo no estudio do Korzus com o grande Heros Trech, a capa ficou a cargo do Marcelo Vasco que trabalha muito bem com a banda.

6- Existe algum peso para o grupo em ser referência no metal? A banda se policia e alguma forma por ser uma referência?

Bom eu diria que a responsabilidade é sempre maior, temos sempre uma cobrança de nós mesmos em relação de fazer um trabalho superior ao outro.

7- Jogo rápido:

4 bandas gauchas:Hibria, leviaethan
4 bandas nacionais: Drowned, Nervochaos, Korzus
4 bandas internacionais: Kreator, Slayer, Testament e Exodus
1 livro: Holocausto Brasileiro
1 cd: Control Denied : ” The Fragile Art of Existence”
1 disco: Plesure to Kill
Metal: Vital para mim
Sociedade: injusta
Copa do mundo: péssima ideia pra um país com tantas coisas pra serem resolvidas
Dilma: Mais um no poder, só.
Familia: Indispensavel
Frase: Deus de vida longa a meus inimigos, para que de pé possam ver minha vitória.

8- Voces vão tocar no Otacilio Rock em 2014, um dos maiores festivais de Santa Catarina. Ao lado do Krisiun vocês são umas das principais bandas do festival, qual a sua mensagem para os organizadores e publico deste evento?

Para os organizadores eu diria que estão crescendo nessa edição em termos de qualidade, para o público que temos muitos fãns em SC digo que daremos o nosso máximo para que se divirtam muito neste final de fevereiro com o Distraught.

9- Ainda sobre o Otacilio Rock, como o festival e visto por vocês? O que vocês conhecem da história dele e o que os fãns podem esperar?

Já queriamos participar em outras edições e felizmente neste próximo recebemos a proposta de tocar, SC tem por tradição fazer festivais Open Air como na Europa etc, isso é incrivel para público e banda. Vamos fazer nosso set com grande parte do repertorio nos dois últimos albuns com nosso tradicional Wall Of Death e esperamos encontrar amigos, fãns e conquistar uma galera nova que ainda não nos conhece.

10 – Contatos e merchan:

https://www.facebook.com/distraughtband?fref=ts

11- Considerações finais:

Agradeço a oportunidade de participar dessa entrevista e esperamos todos no Otacílio Rock Festival em fevereiro!

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas