Entrevista com Oitão

oitao

Entrevista com Henrique Fogaça .

1- Formando em meados de 2008, você acreditava que o Oitão ganharia respeito nacional tão rápido como foi?

Foi formada em abril de 2008 , não esperava , foi reflexo de um trampo verdadeiro e profissional, Agora com esse próximo disco vai ser foda , outra parada sera.

2- Depois deu um grande álbum que conquistou as críticas da mídia, publico e “críticos”, lançar um novo material se torna um desafio?

Não é um desafio , e sim um amadurecimento e entrosamento dos integrantes , deixando cada vez mais característico o som do Oitão
com nossas influencias e vivências.

3- Sabemos da história do nome da banda, como vocês perceberam essa coincidência de datas?

Foi no terceiro ensaio da banda , o nosso guitarrista e baterista fazem aniversario dia 08 , minha mãe e a mãe do baixista também dia 8 , assim um amigo que estava no estúdio , disse : poem oitão nessa porra , e assim foi, tudo ao acaso.

4- Falando sobre o novo trabalho, já tem nome este novo álbum? Onde esta sendo gravado e quem esta produzindo? A arte dele já esta sendo trabalhada também?

Sim , vai chamar POBRE POVO , pois todas as letras falam sobre nossas indignações e o cotidiano do nosso povo , estamos gravando e produzindo no estúdio DA TRIBO com o mestre Ciero ,  e a arte estamos fazendo com um amigo.

5- O que o hardcore representa na sua vida? e como é ser hoje um dos expoentes do Hc nacional?

Comecei a ouvir rock com 10 anos , bandas como AC/DC , Iron Maiden , Sarcófago , Slayer , Venom , Metallica e na sequencia as bandas punks , e foi nessa época com 13 anos de idade comecei a entender as mensagens passadas na musica nacional , aquilo me pegou de uma certa forma que foi um dos fundamentos da minha formação de caráter, em relação ao mundo, Hardcore representa pra mim , uma forma de não estar acomodado na sociedade que vivemos , sempre questionando e traçando caminhos para não viver escravo do sistema, Hardcore representa pra mim estilo de vida. Contestação!

6- Jogo rápido:

4 bandas nacionais: Ratos de Porão,  Cólera , Tropa suicida,  Inocentes
4 bandas internacionais: Ramones,  Exploited,  Sex pistols,  Dead kennedys
1 livro: Estação Carandiru
1 cd: Pode ser 1 vinil kkkkkkk,  RAMONES LOCO LIVE
Familia: Amor , aprendizado e respeito.
Hardcore: Faça você mesmo Proteste , discorde , resista!!!
Oitão: Revolta , Comprometimento, Dedicação , ódio e amor
Copa do mundo: Desastre para o pais , sem estrutura , abusam da verba do povo para construir estádios e assim roubarem mais e mais
Uma frase: Fortaleça quem te fortalece
7- A primeira vez que eu ouvi falar em Oitão foi no HCSP a uns 3 anos atrás se não me engano, foi ali que a banda teve as primeiras oportunidades? Este festival ajudou a banda a ser mais reconhecida dentro da cena hc paulista?

Ja tínhamos feito alguns shows antes , foi um evento legal que com certeza ajudou na nossa caminhada.

Foi há uns 4anos e meio atrás.

8- Hoje você é um homem realizando tocando o Sal (Teu próprio empreendimento) ?

Com certeza , trabalho com cozinha há 13 anos ,trabalho arduamente todos os dias , é o que me sustenta e me da prazer , na mesma intensidade da musica.

Tenho outros 2 bares , o CÃOVÉIO E O ADMIRALS .

9- Você é um dos caras que ajudaram a quebrar tabus do “rockeiro / Headbanguer” na cozinha, onde ainda existe muita gente dizendo que é lugar de mulher. O que você pensa sobre isso?

Muito pelo contrario, a cozinha profissional de restaurantes tem 95% de homens , normalmente desajustados , não se adaptaram na forma “comum de trabalho na sociedade”. Tipo, trabalhar em escritórios, bancos , multinacionais etc …. Normalmente falam que lugar de mulher é na cozinha , são machistas ou pessoas conservadoras.

oittao

10- Merchan do Oitão, onde  é possível encontrar?

Tem com todos integrantes da banda e com os parceiros da marca AGAINST.

11- Contatos para shows?
Henrique: 011 – 972280104  e 011 30822892

Tadeu  011 – 993128569

12- Mensagem:
Seja punk mas não seja burro!

 

Fanpage no facebook : https://www.facebook.com/Oitao

Aproveitem e vejam um clipe da banda:

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas