Karasu Killer Attack!

 

Karasu Killer no Brasil!  Entrevista  c/ Rafael Yaekashi

Rafael Yaekashi
Cherry: Rafael primeiramente obrigada  por  dedicar seu tempo para essa entrevista !
1- Sua vinda para o Brasil, deixa os fãs de grind-metal-punk enlouquecidos querendo saber sobre a cena japonesa e saber o que você tem no “container” que esta chegando no Brasil !
Além das minhas cuecas
1 Uma grande parte do estoque Karasu Killer
2 Rickengrinderbastard 4001
2- Quando e como foi sua chegada no Japão e o que você já  conhecia de bandas, japonesas?
Cheguei no Japão em 2004, minha chegada foi igual a todos os dekaseguis que vão para o Japão, era um estranho no ninho perdido e sem rumo mas cheio de sonhos, naquela época  não tinha muita informação sobre as bandas japonesas, conhecia somente algumas bandas como Gauze, Lip Cream, G.I.S.M., Systematic Death, Stalin e algumas outras que a Sound Pollution (EUA) lançou e que tive conhecimento no Brasil, bandas como Fuck On the Beach, Real Reggae, Vivisick e Flash Gordon (que em 2009 o vocalista veio a ser baixista do N.E.K.).

GAUZE
GAUZE

LIP CREAMLip Cream

VIVISICK
VIVISICK

 

3- Você foi para uma cidade especifica em busca de estar próxima a cena musical?
Não, a primeira cidade que morei no Japão foi em Kosai city, província de Shizuoka, até então fiquei uns 3 meses morando e trabalhando pesado na Suzuki (fábrica de motos), só fui conhecer a cena de verdade quando me mudei para Nagoya, província de Aichi, a partir daí ingressei na cena de verdade. “Descobri tempos depois as bandas que eram de Shizuoka, como por exemplo os mestres do Power Violence Senseless Apocalypse.
KOSAKI
4 – Quanto tempo você viveu na cena musical japonesa ?
Vivi na cena musical japonesa por 10 anos! Praticamente uma vida dedicada a barulheira, uma grande escola para mim.
Karasu KIller
Karasu KIller
5- Como você enxerga  diferença no publico de diferentes estilos  de som como  metal ou hardcore punk  dentro do Japão?
Dentro do Japão existe uma união, por exemplo se minha banda é de Grindcore e a sua é de punk rock, mas se nós nos conhecemos nada impede da gente tocar na mesma gig. Existem pessoas que também organizam eventos e só chamam as bandas da sua “panela” mas nos meus 10 anos de cena não vi muito disso mas existe, pelo menos na minha cena e nas gigs que eu organizei nunca vi uma separação como existe aqui no Brasil. Por exemplo, quando eu organizava eu misturava várias bandas de diferentes estilos, no final sempre tive um resultado positivo.
Citando um exemplo, o Darge uma das minhas principais bandas, já tocamos com os anti cristo do  Black Metal e até com os New School HC, já o N.E.K. minha outra banda de grindcore que eu cantava já dividiu palco com o Hawaiian6 uma banda de emocore e até mesmo com rappers, e isso aqui no Brasil só acontece em grandes festivais por que rola um dinheiro!
6- Os japoneses tem interesse em bandas estrangeiras underground ou acha que só as bandas do “mainstream,” chamam a atenção do publico de hardcore,punk e metal?
Na minha sincera opinião e experiência,  os japoneses dão valor as bandas da cena local e já as bandas estrangeiras são consequência. Se uma banda estrangeira lança material ou faz turnê por lá, os japoneses prestigiam e dão suporte!
7- Como sente essa diferença ?
Com certeza, a diferença é nítida, aqui pessoas preferem mil vezes escutar o que um gringo ta fazendo do que dar apoio ao amigo que toca na esquina!
8- O que veio primeiro o selo Karasu Killer  ou o entrada/formação em uma banda ?
Primeiro veio o selo Karasu Killer, mas no mesmo tempo entrei no Nomares, e a primeira distribuição que fiz pelo Karasu foi a demo da banda, e está registrado lá (KARASU001) Nomares “Pensamento Mal” CD-r, gravei mais de mil cópias e distribui tudo, foi muito importante para o selo, pois a partir dai que iniciei minha historia!
9- Porque o nome Karasu Killer?
No Japão existem muitos corvos (Karasu), é uma ave inteligente e mensageira da morte.  Na sacada do meu antigo apartamento tinham muitos Karasu, e no dia que estava pensando em um nome para o selo, o Maúricio (ex-N.E.K.) me disse algo sobre Karasu, mas tive a certeza do nome quando ao abrir a janela do meu quarto um Karasu gritou na minha cara, ai ficou  Karasu Assassino Barulho, em japonês Karasu Korosu Oto!

Karasu Ilustration

10- Qual foi sua primeira banda ?
Minha primeira banda que toquei no Japão se chamava Nomares, era formada por brasileiros e tocava Punk Rock na veia dos Ramones. Com essa banda que eu iniciei na cena japonesa, em 2007 tocamos com uma banda brasileira que estava em turnê por lá com o Vivisick.
Vivisick - Tokyo/JP Photo Vivisick archive
Vivisick – Tokyo/JP
Photo Vivisick archive
Cantar em português como era o caso do NEK, não causou um certo estranhismo pelos japoneses?
Cantava em português com o N.E.K., com o Darge e nos meus últimos anos com o Punhalada, no começo foi o que chamou atenção e passou ser interessante, eu sempre me preocupei em disponibilizar nos encartes as traduções em ingles e japonês , o que sempre achei chato era uma banda japonesa cantar em inglês, eu prefiro cantar na minha língua nativa expressa mais sinceridade.
NEK
12- Qual você acha que e situação mais difícil vivida pelas bandas japonesas em turnê no Japão?
Em 2010 eu fiz uma turnê no Japão com o Darge junto com os americanos do Aberrant, a maior dificuldade são os dias de folga no trabalho, por ser um país rigoroso nessa questão, no meu caso essa foi a grande dificuldade, e por experiência,é a dificuldade dos japoneses também, mas tem aqueles que largam o trabalho para fazer turnês ou vivem disso.
DARGE/JP & ABERRANT/US “Japan Tour 2010”
13- E mesma pergunta para bandas estrangeiras  em turnê  no Japão.
Na maioria das turnês de bandas estrangeiras no Japão, muitas bandas japonesas acompanham a banda que vem de fora, sendo assim cria um suporte maior do que se a banda estivesse fazendo a turnê sozinha.
Por exemplo no caso do Hellsakura eu acompanhei a banda junto do grande guitarrista Yamagami (Gas/Corruption of Peace), como tudo lá é muito organizado as preocupações são poucas!
YAMAGAMI GAS / COP
14- Da sua experiência com a turnê do Darge no Brasil, como você ve a diferença entre dois países do ponto de vista de  quem está na estrada?
Totalmente opostas, o Brasil é um país muito grande e fica difícil você ter o total controle de tudo, teve shows como o de  Indaiatuba, a bateria não tinha prato e muito menos caixa, o amplificador de baixo estava queimado e microfone era artigo de luxo, usamos um microfone daqueles “meu primeiro gradiente” lembra? A gig foi tão zoada que as pessoas entravam no bar apenas para comprar cerveja e sair fora, e o organizador do evento nem apareceu, isso para mim isso é uma cena lixo.
15- Os planos do Karasu killer hoje, quais são?
Dominar o mercado brasileiro também, com o apoio das meus  grandes parceiros Equivokke Records e Bombardeio Distro, continuamos trabalhando forte no Japão onde controlamos tudo por lá, hoje temos uma distribuição no país todo, e no Brasil estamos crescendo aos poucos, aguardem.
16- Os planos  do Rafael baixista, quais são?
Eu escrevo letras desde muito novo, continuo tocando quando tenho tempo, compondo musicas quando estou inspirado.
Trouxe meu Rickengrinderbastard 4001 comigo, agora estou esperando chegar o resto dos meus equipamentos para tocar o terror aqui dentro de casa!
No Japão estava acostumado a tocar com fone de ouvido, e aqui nesse país como tudo é uma bagunça não vejo a hora de ligar meu bass no meu ampeg monstro e apavorar tudo bem alto!!!!
17- Quais bandas no Brasil você gostaria de estar tocando e tem afinidade?
As bandas no Brasil que conheço de verdade são poucas, fiz parte do line up do Hellsakura em 2009 na turnê do Japão, a única pessoa do Brasil que já toquei foi a Cherry!
Hoje eu estou focado na minha família e ainda me adaptando no Brasil, quem sabe em um futuro próximo volto a tocar em uma banda ou iniciarei outra!
RAFAEL & YAMAGAMI & CHERRY
RAFAEL & YAMAGAMI
& CHERRY

 

18- E quais bandas japonesas você gostaria de ter tocado ou gostaria de tocar?

Assim que o Nomares acabou fui convidado para tocar no Darge em 2007, minha primeira experiência com músicos japoneses, e logo em seguida formei o N.E.K., creio que tudo o que gostaria de ter feito eu fiz.

DARGE Rafael & Shinousuke

DARGE
Rafael & Shinousuke

 

19- O que  você deixou no Japão musicalmente falando? 
Tive 6 bandas, Nomares, Injecting Steel, Darge, N.E.K., Crowboar e Punhalada, muitos discos lançados, materiais divulgados em revistas e sites, o Misoshiru Of Death Photography, meu trabalho em revista de musica e muitos amigos.

NEK
NEK
PUNHALADA
PUNHALADA
RAFAEL & OZEKI DARGE & FRIENDS
RAFAEL & OZEKI DARGE & FRIENDS
RAFAEL & FRIENDS
RAFAEL & FRIENDS
20- E o que espera conquistar no Brasil musicalmente falando?
Sem maiores expectativas pois aqui nesse país as bandas só conquistam espaço quando tem “contatos”, se continuar assim você irá ver somente as mesmas figurinhas carimbadas, sendo assim sem dar espaços para quem realmente batalha e quem tem talento. No meu selo aposto muito em bandas novas, acreditamos e trabalhamos por elas!
21- Rafael obrigada por participar da nova coluna do site, espero que conquiste  muito mais do que conquistou no Japão durante seus 10 anos de vivência, tocando organizando tours e sendo o boss da Karasu Killer que é a ponte para várias bandas realizarem turnês e  lançarem álbuns !
Cherry muito obrigado pela oportunidade, espero que tenha mandado meu recado aqui, quem quiser me escrever sintam se a vontade, quero conhecer o pessoal comprometido de verdade com a cena!
KARASU KILLER RECORDS
KARASU KILLER RECORDS

 

Discografia:
Injecting Steel
Demo CD-r
Nomares
Nomares “Pensamento Mal” CD-r
Nomares “Pensamento Mal Live in Hamatsu” DVD-r
VA – Too Circle World Hardcore Punk Compilation CD 2 musicas
Nomares “Rascunhos 2005-2008” CD 
 
Darge 
Darge “Scum Society” CD
V/A Noise of Mind CD
Darge “Desespero” CD
Darge “Desespero” 7’EP
Darge “Ódio 憎悪”CD
V/A 4 Way For Destruction CD
V/A 4 Way For Destruction II CD
Darge “Ódio 憎悪”DVD
V/A Grind Bastards#6 CD
4 Way Tape Brazil/Japan/Argentina/Indonesia K7
Darge/Secret Sect k7
Darge/Aberrant Split 7”EP
Darge/Hellsakura Split 7”EP
N.E.K.
N.E.K. Eco-Lapso Demo k7
N.E.K. Ninos en Kombate 7”EP
V/A Banned in Nagoya CD
V/A Undergound Punk Rockers CD
V/A United Thrash Night Comp CD
V/A Grind Bastards#5 CD
ADA+MAX/N.E.K. Split CD
N.E.K./D.F.C. Split 7”EP
Unholy Grave Split 7”EP
N.E.K. Dekavermes 7”EP
N.E.K. “Gerações Condenadas” LP
 
Crowboar
Crowboar “Of Tusks and Talons” CD
 
Punhalada
Punhalada “Kochi Chaotic Noise” CD-r
Punhalada s/t CD
V/A Grind Bastards#7 CD
Hellsakura
Hellsakura “Fubuki Sakura/Live in Tokyo” K7
 
Links  que gostaria de divulgar da Karasu Killer!
CREDITOS :
Foto: Punhalada by Natts
Fotos: Darge and N.E.K. by Andréia Fujii
Acervo pessoal Karasu Killer/Rafael Yaekashi/
Foto: Vivisick (Vivisick Facebook  Photos)

Comentários

comentários

Guitar & Vocal for Hellsakura | Nervochaos Muzik: Heavy & Loud Movies : Horror & Trash Partnership: #Manic Panic US #HateBucker Guitar Pick Up #SickMind

Matérias relacionadas