Resenha Inferno metal fest

 

inferno metal fest

 

Há muito tempo Criciúma não via um show de metal, e  a expectativa era grande para o evento, que tinha como headline a lendária Khrophus de Florianópolis .

Em uma noite relativamente fria,  o público compareceu, não como o esperado, deixou lacunas dentro da casa, mas os que ali estavam se fizeram presentes e mostraram quem são os guerreiros do metal.

V8 foi a banda a iniciar as atividades no Alambique, começou bastante tímida e com o tempo a banda foi se soltando e trazendo a atenção do público para si. Com uma boa variação musical, foi do rock n roll ao stoner entre suas canções, se mostrando bastante promissora.

A segunda banda, foi uma apresentação cover.

A  terceira banda da noite foi a tão esperada Khrophus, e com seu bordão inicial Alex anunciou que a pancadaria iria começar, e realmente começou.

Eles iniciaram com Chimeras, e seguiram com Statues, e a roda não parava um só minuto, incansável o trio Adriano / Carlos / Alex  não deixaram a desejar mostrando por que a Khrophus é uma das melhores bandas do sul brasileiro e candidatas aos grandes nomes do país.

Eles ficaram 5 anos sem tocar em Criciúma, e 13 músicas não foram suficientes para saciar os headbangers presentes, muitos aguardam ansiosamente um novo retorno.

 

set list:

Chimeras
Statues
By the Sun
Harvest
Dead Face
The book of the dead
Lost Initiations
Forbidden melodies
Master of shadows
Smoke screen
Interposition
Spirits
Of the elders

Para fechar a noite, black metal de primeira qualidade Southern Warfront  fundada em 2003 segurou a bronca e fez uma excelente apresentação.

Vinda de Erechim-RS a banda tocou 11 hinos, sendo 8 próprias e 3 covers, (Dissection / Marduk / Bathory), destaco “The new holocaust” como a melhor canção da apresentação dos gauchos, em uma noite inesquecivel para o metal criciumense.

set list:

Terror e Caos
Christian Massacre
Campos Sulistas
Nexion 218 ( Dissection)
War on
La Grande Danse Macabre ( Marduk )
Storm Division
The New Holocaust
Pure Blasphemy
Nigthmare ( Sarcófago )
Satan My master (Bathory )

O evento  inicio com atraso mínimo e isso é louvável, mostrando compromisso com público / bandas / imprensa, demonstrando seriedade  nas ações do underground.

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas