NervoChaos: agradecimento pela turnê e aviso aos produtores e público

NervoChaos: agradecimento pela turnê e aviso aos produtores e público

 

nervochaos_tourpic

“Gostaríamos de agradecer a todos que estiveram presentes nos shows que fizemos pelo Brasil e pela América do Sul. Foi uma turnê muito foda ao lado do BLOOD RED THRONE e do ENTHRONED. No total, foram 10 shows, passando pelo Brasil, Colômbia, Peru, Equador e Chile. Um agradecimento especial ao público que fez a sua parte tornando a maioria destes shows inesquecíveis. Agradecemos também aos produtores e a todas as bandas que dividimos o palco.

 

Sobre os festivais ZOOMBIE RITUAL FESTIVAL (SC)/MEGA METAL FESTIVAL (ES)

 

Aos nossos amigos e fãs, gostaríamos de esclarecer alguns pontos para, assim, evitar que ocorram mal entendidos.

 

Primeiramente gostaríamos de deixar bem claro que o público presente nos festivais (seja em SC ou no ES) fizeram os eventos como um todo acontecerem e somos eternamente gratos pela excelente recepção que tivemos.

 

Fizemos um acordo para tocar nos festivais Zoombie Ritual (em SC) e no Mega Metal (no ES). Estas datas fizeram parte da turnê que fizemos junto com as bandas BLOOD RED THRONE e ENTHRONED. A turnê foi composta por 10 datas que passaram pelo Brasil e pela América do Sul (Colômbia, Peru, Equador e Chile).

 

Todas as negociações desta turnê foram feitas pelo baterista do NERVOCHAOS, Edu Lane, via e-mail e Facebook, ou seja, há uma vasta documentação escrita dos acordos selados entre as partes (bandas e produtores) e das condições acordadas para a realização dos shows.

 

Durante esta turnê acabamos descobrindo que alguns “produtores” não honram com as suas obrigações, deixando de cumprir cláusulas combinadas e também deixando de lado obrigações mínimas para a boa realização de um evento.

 

Há um bom tempo percebemos que a música extrema (em todas as suas vertentes) tenta se profissionalizar, tanto aqui no Brasil, como na América do Sul. Infelizmente estão infiltradas na nossa cena aventureiros, caloteiros, derrotistas (e derrotados), pseudo-produtores, pessoas de má fé, mentirosos, aproveitadores, corruptos e muito mais.

 

Claro que há muita gente querendo trabalhar sério e muita gente trabalhando sério também; por isso jamais devemos generalizar o assunto. O que veio à tona e ficou claro foi:

 

• “Produtor” que não paga as bandas de um evento lotado

• “Produtor” que não honra com condições mínimas e essenciais para bandas e publico

• “Produtor” que some do evento, mente e não tem comprometimento algum com a cena ou as bandas

• “Tour manager” que some com dinheiro da banda

 

Temos acompanhado os problemas enfrentados por diversas bandas, nacionais e internacionais e acredito que chegou a hora de colocarmos um ponto final nisso tudo ou ao menos minimizar este tipo de problema em nossa cena.

 

Vamos tomar vergonha na cara e lutar em prol de uma cena melhor. Os “procedimentos”, as “regras”, não estão escritos, mas todos já conhecem. A pratica e o bom senso é muito maior do que uma “regra” escrita. Corram atrás dos seus direitos e por isso achamos importante compartilhar informações sobre esses parasitas que infestam nossa cena.

 

As bandas nacionais devem começar a ter mais postura e deixar de assumir riscos deste tipo para assim tentarmos evitar picaretas de plantão. Bandas e público tem a obrigação de dar as costas para esses mercenários infiltrados em nossa cena.

 

Tudo o que vimos já é mais do que suficiente para riscar da lista para sempre estas pessoas. Nem bandas e nem público querem uma administração dessas em nossa cena, nunca mais. Não devemos apoiar ou dar credito para os mesmos “produtores” que sempre fazem as mesmas coisas, todos os anos.

Art. 171 do Código Penal: obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

Quando uma pessoa sacaneia os outros, vai me sacanear também. Se já deu calote nos outros, irá me dar calote também. Pessoas que sempre têm uma desculpa para tudo, pessoas que estão sempre “certas”, pessoas que não querem mudar e que não mudam; esse tipo de gente devem ser evitada. Isso queima a cena e está claro que tanto as bandas, como o público estão dando um recado.

 

Apesar de todos os obstáculos continuaremos trabalhando com total dedicação e amor ao METAL e a nossa cena. Estamos movendo ações contra aqueles que pisaram na bola conosco e convidamos a todos os interessados a se juntarem a nós e juntos limparmos a cena.

 

Aprendemos a lição e certamente vamos encarar as coisas de outra forma a partir de já."



Contato para shows e mercandise: [email protected]

Sites Relacionados:
www.facebook.com/NervoChaos
www.metalmedia.com.br/nervochaos

Fonte: Metal Media

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas