Hicsos – Entrevista e video chamada para Otacilio Rock

 

foto 3

  Video Chamada exclusiva pelo cultura em peso, assista!


1-   Achei interessante a historia do nome Hicsos, você pode contar para os leitores?

 

Marcelo Ledd : Bem , quando esse nome foi escolhido ainda não se tinha a idéia real do povo Hicsos,mas já sabíamos que foram nomades que viveram no Egito e que eram muito agressivos e devastaram os faraós da época. Hoje ja se sabe que muito provavelmente os Hicsos foram o que na biblia diz povo hebreu, os escravos que originaram a história do exodo e que foram para o oriente médio e se uniram as tribos de lá, claro gerando muitos conflitos.Talvez isso explique tanta briga naquela região.

 

 

2- Aquele inicio nos anos 90 foram muito conturbados? Fazendo um paralelo entre os anos 90 e os atuais, o que mudou para vocês?

 

Marcelo Ledd : Cara , era até relax de certa forma,porque nós tínhamos muita ingenuidade ainda, tudo era feito de forma amadora, mas o tesão era e continua sendo o mesmo. Praticamente todas as bandas da cena carioca se conheciam e também tínhamos contato com o pessoal mais velho que veio da década de 1980. Hoje já tem um grande diferencial , as bandas ja começam com uma proposta semi-profissional , muita gente parou de usar o termo demo-tape/cd para dizer “EP”. Ninguém quer começar do zero todo mundo ja quer começar com um status qualquer,como ja estamos com uma idade bem acima dessa nova geração que esta se formando agora , não temos tanto convívio assim ,mas conhecemos muita gente que vem surgindo ai,vimos nascer algumas bandas que estão lançando seus primeiro registros oficiais agora. Esperamos que o caos de hoje em dia se transforme em “cena” do metal carioca.

 

 

3- Com 5 álbums na bagagem, o Hicsos será uma das principais atrações do Otacilio Rock. O que vocês preparam para este festival?

 

Marcelo Ledd : Estamos fazendo um set que cobre nossa carreira toda , vamos tocar musicas de todos os albúns e quem sabe alguma coisa de uma demo-tape antiga…Mas nosso show sempre é focado na violência sonora .

 

Rossatto : O nome do nosso novo Cd é “Circle of Violence”… Não esperem menos que isso! rs \,,/,

4- Toda banda tem influências que os levam a começar a tocar, para vocês como é ser a “influência” de muitas bandas?

 

Marcelo Ledd : realmente é uma situação que foi mudando com o tempo nesses 25 anos , mas sempre é gratificante ter bandas que se inspirem em nós ,seja pela nossa perseverança para manter a banda na ativa sem interrupções durante toda a carreira ou pelo som mesmo,enfim, como eu falei tem bandas aqui do rio que nós vimos nascer e que tem integrantes que se inspiraram em nós por um desses motivos,mas isso não diminui as influencias que nos levaram a começar a tocar.

 

1 - cover_hicsos_circle_of_violence_final2 copia

5- Jogo rápido?

 

4 bandas nacionais:

Rossatto :  Korzus, Torture Squad, Leviaethan, Sepultura

 

Marcelo Ledd :Ratos de Porão , The Mist , Overdose e Korzus
4 bandas internacionais:

Rossatto : Megadeath, Hatebreed, Anthrax, Exodus

Marcelo Ledd : Led Zeppelin , Anthrax , Agnostic Front , The Who
1 cd:

Rossatto : For the Lions – Hatebreed

Marcelo Ledd : Among the Living – Anthrax

1 livro:

Rossatto : 1984 – George Orwell

Marcelo Ledd : O Capital – Karl Marx

 

Uma frase:

Rossatto :  “Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente.” (Jiddu krishnamurti)

Marcelo Ledd : “Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas,mas jamais conseguirão deter a primavera” “Lutam melhor os que tem belos sonhos” – (Che Guevara)

 

6- Existe muita divisão na cena carioca? Falta união entre as bandas e produtores?

 

Marcelo Ledd : falta respeito entre muita gente como um todo,mas não temos algo concreto o suficiente para chamarmos de cena. tem muita divisão entre os estilos ,fundamentalmente entre os fãs desses estilos ,muito pouco entre as bandas.

 

Rossatto : Até existe união… mas sempre existirá opositores, mesmo que façam parte da mesma “cena”.
Mas o metal sempre acaba vencendo essas coisas, junto com a persistência de cada um de nós.

 

7- Como vocês resumem a gravação de “Circle Of Violence” ?

 

Marcelo Ledd : Fizemos praticamente tudo no HCS Estúdio aqui no Rio e a mixagem e masterização foi feita pelos nossos amigos e velhos conhecidos Pompeu e Heros do Mr. Som em São Paulo . Tentamos deixar tudo bem pesado,agressivo mas com nitidez  e clareza nos riffs sem deixar aquela sujeirinha básica que nosso som precisa.

 

 

8- A banda levara merchan para o Otacilio Rock?

 

Marcelo Ledd : Com certeza termos cd , camisa e talvez mais algumas coisas lá , é só procurar a gente em uma barraca de merchandise .

 

 

9- Quando foi tomada a decisão de produzir o próprio cd? O resultado agradou a banda?

 

Marcelo Ledd : nós começamos a pensar nisso depois do ” Technologic Pain” ai vieram duas a pré-produções e foi quando resolvemos que dava para fazer aqui. Ficamos muito satisfeitos com o resultado final , queremos melhorar mais para o próximo lançamento .

 

 

 

10- Contatos e merchan:

 

producao@hicsos.com.br

 

www.hicsos.com.br

 

 

 

11- Considerações finais:

 

Marcelo Ledd : Agradecemos pelo suporte e será muito bom ver todos os headbangers de SC pela primeira vez , esperamos voltar muitas outras vezes.Entrem em contato conosco para ficarem por dentro de tudo que acontece com a banda,ok.
Rossatto : “Eu realmente não sei como explicar. Você tem que ter paixão e fazer sacrifícios.
Muitas vezes as pessoas dirão que você não é capaz, só pra você desistir e virar um motorista ou alguma outra coisa.
Não que haja algo errado com motoristas, mas há grandes motoristas e grandes músicos… você tem que escolher.
No fim do dia você não vive a vida das pessoas; você vive é a porra da sua vida e é você que manda nela.
O sacrifício, a zombaria… tentarão impedir você de qualquer jeito… mas nunca deixe se influenciar por eles.
(Yngwie Malmsteen)
foto2

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas