Torque Down – Banda canadense com brasileiro concede entrevista

band-1

 

1 – A formação da banda conta com integrantes de vários países, de qual pais e cada integrante da formação?

Angel (vocalista) Laguna, Filipinas, Ken (guitarrista) Manila, Filipinas. JP (baixista) é de São Paulo, Brasil e Bobby (batera) Ontario, Canadá.

2 – Como vocês se conheceram? O inglês é a regra de comunicação da banda?

Angel e Ken se conheceram num campeonato de basquete e então decidiram montar a banda com outros integrantes também das Filipinas. Por motivos familiares, alguns integrantes deixaram a banda, foi quando então Angel encontrou Bobby e JP num site de classificados para músicos. Somos sortudos em termos nos encontrado. Nos comunicamos em Inglês mas as vezes Angel e Ken trocam algumas palavras em Tagalog.

3 – Quais as principais influências da banda?

Várias bandas hardcore punk das décadas de 80 e 90. Não sabemos se temos uma banda como principal influência mas podemos citar algumas que nos inspiraram a chegar onde chegamos: Cro-Mags, Warzone, Sick of it all, Agnostic Front, Black Flag, Circle Jerks, Bad Religion, Madball e outras…

4- Como é o processo de composição? Quem cria os riffs? Quem escreve no grupo?

Geralmente Angel ou Ken criam um riff novo. Durante o ensaio (semanal) nós  gravamos o novo som com um celular e, em casa, cada um acrescenta novas ideias até o som ficar redondo. Até agora tem dado certo haha. Angel escreve todas as letras

5- Toronto é uma cidade propicia ao hardcore?

Sim, temos uma fantástica cena hardcore com muitos bares espalhados pela cidade onde tocam bandas punk/hardcore. Já tocamos em ótimos festivais com bandas internacionais. Aqui a  cena HC cresce a cada dia.

6- jogo rápido:

4 bandas nacionais – Bound by Defiance, False Hope, Hereafter, A Call For Violence

4 bandas internacionais – Piledriver (Philippines), Wreckage (Buffalo, NY), Eskapo (San Francisco, California) Stompin’ Ground (Singapore)

1 CD: Torque Down – Counterattack

1 song: Counterattack

Hardcore: Punk, Street HC

Family: Toronto Skyline Crew

frase: Não vou ficar parado na sua mira.

7- Do Canadá vocês tem acompanhado a situação no Brasil? Como a banda tem visto o cenário político por aqui?

Nos jornais  vemos um escândalo de corrupção acontecendo e muitas pessoas indo para as ruas para protestar e tentar resgatar o país. A situação política deve estar mal porque sempre vemos Brasileiros se mudando pro Canadá.

tdhc

8 – Qual a influência que o hardcore brasileiro tem na banda?

Com certeza temos influência do Sepultura em algumas de nossas linhas de bateria. JP cresceu ouvindo Raimundos, Nitrominds e outros.

9 – Vocês gravaram um clipe intitulado de “COUNTERATTACK – HARDCORE WORLDWIDE”, como foi a produção do clipe? Onde foi feito, e quais foram as principais dificuldades? Quem editou as imagens?

Planejamos o clipe com antecedência mas os planos mudaram drasticamente durante a gravação. Mesmo assim estamos muito satisfeitos com o resultado. Gravamos o clipe em dois dias. No primeiro dia, gravamos no terraço de um prédio e no segundo gravamos no local que aparece no clipe. No segundo dia, todos estavam lá menos o câmera man. Por sorte nosso amigo e fotógrafo Juan Angel, que chegou cedo, acabou gravando o clipe pra nós.

O clipe foi gravado na Skyline Toronto HC. O vídeo foi editado pelo nosso baixista JP.

10 – Em breve será lançado o  disco da banda. Qual o nome do  disco? Quantas músicas terá, do que elas falam? Quem produziu e quem fez a arte da capa?

O álbum tem 12 músicas e se chama Counterattack. Foi gravado no Coal studio em Toronto e mixado/masterizado no Apollo Acoustics em Toronto também. A arte foi feita por Niko Castilho de São Paulo, Brasil.

11- Dia 23 vocês farão um show em Toronto, qual a expectativa do evento?

O show vai ser foda! Será num porão de um bar e pelo jeito vai lotar. Estamos trazendo alguns pesos pesados como Wreckage, Hereafter, A Call for Violence e False Hope. Vai ser insano.

12- contacts / merch :

https://www.facebook.com/torquedown

https://instagram.com/torque.down/

http://torquedown.bandcamp.com/

CDs e camisetas estão na nossa página no Facebook.

13 – Mensagem final:

Um grande salve para todos os nossos amigos Brasileiros e obrigado pela entrevista. Isso nos ajuda muito na divulgação do nosso trabalho. Esperamos um dia tocar no Brasil e conhecer todos vocês!!

Continue apoiando sua cena local. Nós somos uma família! Hardcore é a nossa irmandade global!

Obrigado pela leitura.

Paz

torque-down-crew1

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas