CACEROLAZO ACÉFALO

FB_IMG_1430910340251

Por : Panda Reis – pandadrums@Hotmail.com

Recentemente temos visto aqui no Brasil um fenômeno que já havia ocorrido em outras partes do mundo e já há algum tempo, o polêmico “panelaço”. É sabido que essa forma de protesto não é recente, não em outros países, basta analisarmos que a primeira manifestação de bater panelas para se manifestar ocorreu em 1971 e 1973 no Chile, durante a ditadura militar, atitude que se espalhou em Países como Espanha, Itália, Uruguai, Venezuela, Argentina, Espanha, Islândia, Canadá e Colômbia, todos com históricos relevante de lutas, em sua grande maioria por motivos realmente populares e não apenas por motivos que eram de interesse apenas de uma parcela abastada da sociedade. O modelo copiado por aqui veio da Argentina mais precisamente, aonde lá e em outros países da América do Sul, é conhecido como “Cacerolazo”, porém a representação por aqui foi em sua esmagadora maioria da classe media alta e da burguesia, que bateram suas panelas em suas sacadas gourmet em bairros ricos como Higienópolis, Alto de Pinheiros, na Barra da Tijuca, aonde essa classe mais rica além de bater suas panelas, que na verdade só suas empregadas á utilizam, gritavam palavras de baixo calão e ofensivas a Presidente.

Insatisfeitos com a corrupção amplamente investigada nos tempos atuais, achando na figura de uma pessoa toda a culpa pela corrupção nacional e historicamente enraizada em nossa história Republicana, isso para não voltarmos á antes de 1889 , e falarmos da corrupção legal e ilegal, que ocorriam na época da Monarquia. Então a atitude elitista de protestar se diz insatisfeita com os rumos sociais e políticos do País. Ouvindo o discurso dessa nova direita descaradamente a favor da volta dos militares ao poder e contrária às medidas tomadas para favorecer as classes mais baixa,além de discursos tão impensáveis para o século XXI, depois de tantos ganhos na parte social e democrática da nossa história política, republicana, vemos um congresso extremamente conservador, pra não dizer retrógrado.

Eles falam da corrupção no governo do PT , então acredito que eles devam conhecer que a corrupção fez parte de toda a nossa história, e seria muito louvável se aproveitando a oportunidade de se lavar a política brasileira, retrocedesse nas investigações, não apenas até o governo do PSDB, mas voltando no início da República brasileira. Mas tamanho é o envolvimento político nesses dias, da classe burguesa, que se parece que todos sabem e compreende muito bem a nossa caminhada democrática … mas não é isso na prática, analfabetos políticos se passam por analistas e arrotam besteiras nas mídias oficiais e principalmente nas virtuais, fazendo renascer pensamentos fascistas, racistas e colocando em ponto de guerra de classes nosso País, País que a cada dia se divide mais e mais em classes.

A corrupção no Brasil é cultural, vem desde quando os Europeus aqui chegaram, é um assunto complexo, que é necessário, urgente, que se passe a nossa política a limpo, essa necessidade é clara, e já passou da hora, mas utilizar da intolerância e da infantil estratégia de se fazer barulho e não ouvir o que seu chefe de Estado, eleito democraticamente com o voto da maioria (ou melhor, reeleita), tem para dizer, me faz sentir nojo da nossa incapacidade democrática de se fazer política, pois nem mesmo escutam o que seu opositor tem a dizer, como argumentar racionalmente e exercer a democracia sem diálogo político entre situação e oposição ?

O modelo do panelaço copiado é o modelo da elite Argentina, é a apropriação de modelos que mais fazem mal para a liberdade democrática e até partidária. Talvez se a história política brasileira fosse estudada seriamente, revirada e discutida desde quando Marechal Deodoro assume como primeiro Presidente da República, talvez percebêssemos que o nosso atual Neoliberalismo importado é tão frágil quanto nossa situação e oposição, concentrar ataques á uma pessoa ou partido, é jogar toda a sujeira gerada em 126 anos para debaixo do tapete de algumas poucas pessoas ou legenda, e assim deixar ileso outras pessoas e partidos que destruíram nossa democracia, é no mínimo perigoso.

Daqui do extremo sul da zona Sul não ouço as panelas batendo, ouço barrigas roncando.

 

Comentários

comentários

Matérias relacionadas