SIGLAS, LEGENDAS E SIMILARIDADE POLÍTICA

Por : Panda Reis – [email protected]

imb

 

Em momentos de crise as pessoas costumam a se atentarem mais em assuntos como política e até economia, o problema é que a grande maioria não se atenta que política e economia são importantes em qualquer época, mesmo quando não se esta em crise. E por falar em crise, estamos enfrentando dois tipos de crise, a política e a crise econômica, que estão estritamente ligadas, mas são completamente diferentes. Mesmo sendo importante (a meu ver, mais importante) a crise econômica, por motivos políticos, só se dá importância, só se apóia, só se divulga e só esta em pauta a crise política. Isso por que é uma briga por poder simplesmente, é o poder que esta em jogo nesse momento, aqui no Brasil.

Esses novos críticos políticos, que como caixa de ressonância reproduz discursos muitas vezes intolerantes, muitas vezes falacianos, na maioria das vezes tendenciosos e todos eles incapacitados de intelecto suficiente para entender o momento histórico brasileiro, de maneira macro e racional e embazada pelo conhecimento político e histórico. Mas a culpa não é somente deles, mas de todo um sistema que não permite que os jovens aprendam a entender o mundo em que vivem, e não estimulam a pensarem e enxergarem as contradições.

O que vem acontecendo por aqui, com as investigações da Lava a Jato e do maior esquema investigativos (que para mim deveria retroceder as investigações até o governo militar) que esse país já teve, se mostra descaradamente tendenciosa e parcial, por uma parte política e da sociedade, isso sem contar a manipulação descarada da mídia que ignora políticos, partidos e ações, tão ilícitas como as divulgadas até aqui. Vivemos uma histeria coletiva, uma acefalia política que é incapaz de distinguir partidos e tendências políticas, basta ver o “ódio” repentino pelos “vermelhos”, sem saberem e nem se quer procurar saber (qualquer pessoa que entende o mínimo de política sabe que a cor vermelha não representa mais, o que, ainda representa para os outros partidos), essa iniciativa vindo da mídia, é esperável, o que assusta é o solo fértil para essa visão conservadora, típica de uma elite e não da grande maioria da população, que sem base intelectual e política, sofre a lavagem cerebral da mídia e de seus ídolos marionetes desse sistema.

Não percebem que os partidos envolvidos, todos eles são de direita, ou centro direita, ou centro e até alguns ditos de esquerda, porém com uma postura de alinhamento com estruturas do capitalismo, bem estreitas, todos eles envolvidos em corrupção. E por que não se divulgam e não falam dos “defensores” da democracia, contra a corrupção, que estão envolvidos até o pescoço? Falo dos partidos: DEM, PMDB, PMN, PP, PPS, PR, PRB, PRP, PSB, PSC, PSD, PSDB, PSDC, PT, PC do B, PTB, PTC, PSOL, PT do B, PDT, PTN e até os “verdinhos” do PV. Observem todos esses partidos, até aqueles ditos de esquerda faz parte da base aliada há muito tempo, todos os demais, são partidos conservadores, das bancadas da bala, agrolatifundio, religiosa e por ai vai, o congresso mais conservador da nossa história democrática. E por falar em Democracia… A ilusão daquela democracia ateniense, onde o governo era exercido por todos seres livres, onde o voto ou sorteio, definia o escolhido do povo, onde se formavam assembleias populares, que eram apresentadas propostas, e todo cidadão livre podia votar leis e regência, que pretendia abranger todos os cidadãos… Essa democracia hoje esta bem distante da democracia contemporânea do sistema capitalista, embaçada em um neoliberalismo que serve unicamente aos interesses de elites e “cartéis” e a um monopólio capitalista, que acumulam capital e comanda os rumos mundiais com ameaças bélicas e sanções monetárias, que faz da globalização a ferramenta para manter poderes e privilégios. A ditadura do capital tem a democracia neoliberal como arma justificadora para verdadeiras extorsões, em forma de leis e políticas corporativistas.

Então, ao acreditar que a sua luta por democracia, é uma luta por liberdade, é um erro. É um erro  acreditar que a democracia e a política contemporânea é feita para o povo e não para grupos que se alternam no poder. Na atual situação política brasileira, em brigas políticas no congresso, que se alastrou para as ruas, em momento algum se falou do povo, do pobre… Os parlamentares em momento algum da crise se mostrou preocupado com a população, muito pelo contrário, a cegueira pelo poder é tão descarada, que se recusam a escutar o povo, em pensarem em uma limpeza ética, em novas eleições. Não estão preocupados com o alto índice de desemprego, da má distribuição de renda e dos interesses de todos e não apenas da classe média, que acredita que com o impeachment da presidente e a prisão do ex-presidente, acabaria com todos os problemas do Brasil, como se a crise fosse apenas política e não, também econômica, como se denúncias de corrupção em 90% dos partidos não fosse importante, como se a problemática do nosso congresso extremamente conservador que não trabalha para as classes mais desfavorecidas ( e sim o contrário ), não fosse importante, como que o desejo gigante em fazer parte da festa neoliberal não nos tornassem em uma pseudo potência da América do Sul, que de tão prepotente, não nos faz enxergar que nossa política é tão medíocre como qualquer economia periférica, que se acha inserida nos interesses das grandes potências capitalista.

Não sabemos nada de democracia, e queremos uma política que pense exclusivamente no povo em um sistema em que a métrica é explorar esse povo!

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

comentários

Matérias relacionadas