Unvorsum – Exception – Review

exception

Unvorsum a banda Exception traz 5 petardos do melhor do Death Metal.
A qualidade é gringa, mas a banda é nacional, mais expecificamente oriunda da terra de praias, comente conhecida co Ilha da magia, Florianopolis.

Produzido por Exception E Bruno Anana, teve baterias gravadas gravadas no “Chagas Stúdio”.

A primeira música tem uma intro que lembra os filmes de terror, singelos com músicas de criança, uma espécie de caos anunciado, e é isso que Disintegration of the human mass faz, traz um peso dilacerador onde guitarras e bateria fazem um casamento ideal de riffs e condução.
Time Lord vem logo na sequência sem perder o ritmo insano tem uma introdução que recorda os primeiros momentos de um tsunami, em certos momentos da canção lembra os finlandeses do Kalmah que mesclam o peso do death metal bruto as melodias mais finas.
Colonization tem os melhores arranjos de bateria, o vocal se põem acima dos acordes soberano vociferando ódio como uma canção da morte.
Entropy é afaixa mais branda porém isso não significa que o peso de Exception não esteja vistoso em suas linhas.
Com Masks of diversion (Destaque do álbum) fecha brilhantemente esta obra de arte do death metal catarinense.
Nota: 7,5

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas