ORQUÍDEA NEGRA – WHO’S DEAD? – UMA OBRA PRIMA

orquidea-negra-frente
Orquídea Negra – frente
orquidea-negra-verso
Orquídea Negra – verso

 

O maior clássico do metal catarinense seguramente. Clássico não apenas no sentido musical mas também no sentido histórico pois trata-se do primeiro álbum de heavy metal lançado em Santa Catarina.

Ano de 1992 e lá estava eu no show de lançamento, no extinto Cine Tamoio em Lages, na turma do gargarejo,curtindo esse show e ficando maravilhado com as músicas do álbum pois até então havia ouvido muito os covers de metal tradicional que a banda fazia.

Na época eu estava na faculdade em Lages e tive a oportunidade de acompanhar de perto a ascenção da banda.

A banda na época era formada por André “Boca” Graebin no vocal, Fernando “Ferpa” Tavares no baixo, Marcelo “Tio Menas” Menegotto na bateria, Vinícius Porto na guitarra solo e Robson Anadon (atual baixista)  na guitarra base e teclados. Músicos de alto nível e bastantes experientes já na época.

Tentarei ser bastante imparcial aqui e não deixar que o fã incondicional e amigo dos músicos tome conta dessa resenha.

Ao ouvir o vinil muitos dirão que poderia ter tido uma maior qualidade de gravação blá, blá, blá, blá. Logicamente que sim, mas se considerarmos que isso aconteceu há quase 25 anos atrás considero o trabalho satisfatório.

Todas as músicas seguem a linha do metal tradicional, influenciados pelos monstros sagrados como Iron Maiden, Judas Priest, Saxon, dentre outros. Tratarei aqui de forma rápida e suscinta de cada música.

O disco abre com o clássico Surrender, influenciados por Saxon certamente pois o riff nos reporta diretamente a 747 (Strangers in the Night).  Linda melodia e refrão fantástico. Arrisco dizer que se tornaria um clássico do metal nacional se na época a banda tivesse surgido em São Paulo por exemplo.

Na sequência vem Christmas Night que inicia com um riff marcante e pegajoso, inspiradíssimo. Cozinha em sincronia com viradas perfeitas de baixo e bateria. O solo dessa música é magistral. Vocal em tom alto a música toda, dando uma amostra do potencial do Boca, o qual considero estar no meu top 5 dos vocalistas de metal do Brasil e que continua como um bom vinho.

 

I’m calling for your soul e Wonderful and Lost continuam com  a receita do bom e velho heavy metal tradicional. Muito feelling, melodias pegajosas sem ser piegas. Sobre Wonderful and  lost escrevi na resenha do álbum Don’t break the Oath -Mercyful Fate (incluir link) sobre o riff da introdução se parecer com um riff existente em Come to the Sabbath.

Fechando o lado A temos uma linda balada, de dar inveja a Scorpions e Nazareth. It’s easy to remember tocou muito nas rádios da região na época. Tem um refrão extremamente marcante, um belo teclado e um solo cheio de sentimento.

Abrindo o lado B temos Run to the Hell, uma espécie de Aces High da banda.  Influência total de Iron Maiden e Judas Priest. Empolgante do inicio ao fim. Lembro que nessa musica Tio Menas com seus 2m de altura batia sem do nem piedade na sua bateria. Uma aula de metal.

Mr. Powerful vem nessa mesma linha, veloz e com excelente refrão. Essa musica deu nome `a banda que o vocalista Boca teve quando de sua saída da Orquídea  Negra ainda nos anos 90 e com essa banda fizeram uma regravação desta, a qual ficou mais rápida e pesada ainda.

A próxima musica e a minha preferida com certeza. Chama-se Hunting Devil. Inicia-se com um belo teclado e um vocal suave e melódico. ImpossÍvel não cantar junto : OOH I’M LOST IN THIS WAY, OOH I’M LOST IN MY HEART. A música vem num ritmo cavalgado e contém o refrão mais “metal” do  disco. O vocalista Boca dá um show aqui. O final dessa musica é fantástico com um solo de guitarra maravilhoso. Ela foi relançada com uma nova roupagem como bônus lançado na Europa do não menos clássico álbum Blood of Gods de 2014.

Pra encerrar temos Miss You a qual e obrigatória em qualquer show da banda e sempre cantada em uníssono a plenos pulmões  pelo publico. Uma linda balada com direito a um solo de baixo e um teclado “viajante” de fundo.

Recentemente foi relançado em vinil  pela Since 72 Records com apenas 300 cópias com um bônus The Darkness que representa bem o metal da época.

Resumindo, este disco marcou  a vida de muita gente e aqui me incluo. Se vc não tem pode comprar de olhos fechados, pois será satisfação na certa.

Comentários

comentários

Denilson Luiz padilha Engenheiro agrônomo Ex prefeito / atual vereador eleito de otacilio Costa Um dos mentores/organizadores do OTA - Otacilio Rock Festival Aficionado por metal em todas as suas vertentes há 30 anos.

Matérias relacionadas