Matriarca, Antichrist Hooligans e Somberland: Review

dinossanteproducoes

  • MATRIARCA

A banda que abriu os shows de sábado no célula, – e que também foi o primeiro show dessa banda – era uma banda bem diferente do que estamos acostumados quando vamos num show com bandas mais pesadas. O seu “Rock n’ Roll Extremo” como bradou o vocalista, fazia um som com uma pegada mais puxada pra Hard Rock… mas de um jeito nunca visto, era realmente extremo! As guitarras com aquela pegada bem Hard, e o vocal destruindo, bem rasgado! Fizeram ótimas versões para Live Wire (Motley Crüe), Hellion (WASP) e I Got Erection (Turbo Negro), além de várias musicas próprias, que mostraram que a banda não veio pra brincadeira. Baita show, e com essa pegada diferente do habitual, a banda não vai demorar muito pra fazer a cabeça da galera, principalmente pelos que anseiam por bandas novas boas e que não sejam o mais do mesmo.

 

  • SOMBERLAND

A banda de Black Metal do sul de SC fez o som que muitos que ali estavam queriam ouvir: ríspido e agressivo. Tocando musicas do seu ep Dark Silence of Death, a banda botou o célula abaixo, muito foda a apresentação dos caras, mostrando também que tem muitas bandas novas aqui no estado que estão fazendo um puta som!

 

  • ANTICHRIST HOOLIGANS

 A Antichrist Hooligans é uma banda que não dá pra ficar parado no show deles! Simples assim. Todo show deles é uma destruição sonora! Tocaram músicas do ep novo Nuklearwitch que simplesmente é matador! O estilo “thrash/punk” deles é desgraceira pura. Eu sou suspeito a falar, porque gosto desde a época da Osculum Obscenum, mas o vocal do Diego ta animal. A galera agitou pra caralho nesse show – em todos os três, na verdade – fazia tempo que eu não ia num show em que todas as bandas foram ótimas! Baita evento, espero que Floripa mantenha esse nível de show, porque foi simplesmente perfeito.

 

Resenha: Smoken
Fotos: Manuella Pelegrinello

 

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas