Atlantis: “Nos inspiramos no espírito oitentista do Heavy Metal”

atlantis

 

A banda catarinense de Heavy Metal ATLANTIS foi destaque no Blog Extreme Aggression e concedeu uma importante entrevista onde falou de forma bem explanada como foi seu ano de 2016, o álbum “Hotter Than A Burning Church” e sua repercussão, crescimento do ATLANTIS no cenário metálico nacional e projetos futuros.

Perguntados sobre as inspirações do grupo e sobre a cena do Heavy Metal nacional, Tino Barth, guitarrista e vocalista da banda, não titubeou e respondeu:

Inspirações:
“Nos inspiramos no espírito oitentista do Heavy Metal, tanto na sonoridade quanto nas composições.”

Cenário do Heavy Metal Nacional:
“A cena é muito forte em algumas regiões mas querendo ou não sempre há ‘panelinhas’ que dividem os ‘bangers’, infelizmente é algo que parece que não muda.”

Você pode conferir a entrevista completa pelo link a seguir: http://blogextremeaggression.blogspot.com.br/2017/02/entrevista-atlantis-heavy-metal-jaragua.html

O ATLANTIS também falou sobre sua atual turnê “Hotter Than A Burning Tour”, que foi muito bem-sucedida no ano de 2016 e continua em 2017 e já está com datas disponíveis. Produtores interessados podem entrar em contato pelos e-mails [email protected] ou [email protected] e conferir as facilidades.

Contato para shows e assessoria: www.sanguefrioproducoes.com/contato
Sites relacionados:

https://www.facebook.com/AtlantisHeavyMetal

http://www.sanguefrioproducoes.com/bandas/Atlantis/18

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas