Mugo: revelado detalhes importantes da concepção do novo álbum “Race of Disorder”

mugo-capa

 

Formado em 2006, a banda Mugo já possui dois álbuns na carreira, “Go To The Next Floor” lançado em 2009 e “The Overwhelming End”, lançado em 2014. Ambos os álbuns abordam perspectivas diferentes, Go To The Next Floor aborda temas mais introspectivos e pessoais, já “The Overwhelming End” tem em sua proposta letras sobre guerras e conflitos entre os povos.

 

Preparando espaço para o lançamento de seu terceiro álbum, os músicos da banda Mugo, revelam detalhes assimétricos comparados aos lançamentos anteriores, entre elas a revelação de músicas cantadas em Português, processo de composição lírica, harmônica e a relevância da entrada dos músicos, Guilherme Leal (guitarra) e Weyner Henrique (Bateria), ambos fazendo suas estreias em uma gravação oficial da banda, completam o time o vocalista Pedro Cipriano e o baixista Faslen de Freitas.

 

O primeiro assunto abordado como referência no novo álbum é retratar o caos e a insatisfação do povo brasileiro com a corrupção política e social do país, elevando a critica a conscientização que nós somos o terceiro mundo, única e exclusivamente por causa da própria população, mesmo fazendo criticas pesadas, a banda Mugo, ressalta que algumas letras do novo álbum, “Race of Disorder”, também irá tentar levar ao público letras de esperança e fé na crença de uma mudança significativa no país.

 

Outro detalhe revelado de “Race of Disoreder”, é composições cantadas na língua pátria da banda, o português, anteriormente na carreira do grupo, jamais em um disco havia músicas com letras em português, apenas o single lançado em 2015, “Terra de Ninguém”, sobre esse assunto, foi revelado que esse disco terá mesclas de idiomas, sendo a maior parte cantada em Inglês, mas com algumas faixas cantadas no idioma nacional, a intenção é levar ao ouvinte uma nova perspectiva, mostrar uma nova “cara”, apresentar a capacidade e qualidade dos músicos em compor em sua língua mãe, além de ser uma forte demonstração de criatividade e direcionamento de suas músicas aos fãs brasileiros do grupo.

 

 

Sendo oficializados como os novos integrantes da banda, mesmo sabendo que o guitarrista Guilherme Leal e o baterista Weyner Henrique, estão a frente da banda Mugo há alguns anos, esse será o primeiro registro de estúdio de ambos como integrantes do grupo, uma característica que deve ser ressaltada, é que o som da banda terá uma mudança linear, a banda não irá mudar seu direcionamento, mas com a entrada dos músicos, o peso, técnica e timbragem, estará mais pesada do que antes.

 

Em breve todos os detalhes das faixas, incluindo os nomes, serão divulgados pela a banda, os músicos garantem a paixão e respeito ao estilo e a grande gama de fãs que eles conquistaram com o decorrer do tempo, e terminam com a seguinte mensagem:

 

O que fazemos é por vocês, a Mugo é cada um dos fãs que nos acompanham desde sempre!

 

Mais informações:

Facebook: https://www.facebook.com/BANDAMUGO/

Roadie Metal Press: http://roadie-metal.com/press/mugo/

 

mugo-04

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas