Gods & Punks aposta no progressivo em novo álbum

Gods & Punks aposta no progressivo em novo álbum

gap-low-3

 

Os cariocas da Gods & Punks definiram que as novas composições, para o primeiro álbum “Into the Dunes of Doom”, terão mais elementos da música progressiva do que as canções do EP “The Sounds of the Earth” (2016). O registro tem previsão de ser lançado no segundo semestre deste ano.

 

Como explica o vocalista Alexandre Canhetti, “Into the Dunes of Doom” têm dinâmica diferente do stoner progressivo que marcou a estreia da Gods & Punks. Mesmo que as principais influências continuam sendo Rush, Black Sabbath e Led Zeppelin, estas novas músicas foram compostas com liberdade para os experimentalismos e dinâmicas fora do padrão do rock tradicional. “Estamos incorporando compassos e tempos compostos nas músicas. No EP, a gente não se deixava viajar tanto quanto nessas músicas de agora, era um pouco mais pé-no-chão”, comenta.

 

Os improvisos e rápidas mudanças da música progressiva são, para Canhetti, elementos que explicam a nova fase da Gods & Punks. “Quando você acha que entendeu a vibe da música, ela te manda pra outro caminho completamente diferente. Também gosto muito quando as músicas estão interligadas por um tema”, revela o vocalista.

 

Apostar na estrutura progressiva ampliou as possibilidades à banda. “Fica menos presa às estruturas, limites de tempo etc. Sabemos que nossa música não é para tocar em rádios, então faremos o que gostamos”, destaca Canhetti. Segundo o vocalista, diferentes vertentes do progressivo se unem no novo disco. “Cada um puxa para um lado: O Psy é mais modernoso, o Pedro é tradicionalzão; pro Danilo, quanto mais viajado, melhor; o Arthur curte um bagulho sujo e pesado; eu, particularmente, curto uma vibe bem vintage”.

Comentários

comentários

Cremo é idealizador e fundador do Cultura em Peso, Asatrú, amante incondicional da fotografia e da cena underground, na qual vive intensamente há 16 anos. Formado em Redes para Computadores, é ex-vocalista das bandas La Tormenta (Grind) e Dead Bush (Punk), ambas de Minas Gerais. Ouve de Punk Rock a Metal Extremo, tendo como principais bandas na sua playlist Ratos de Porão, Napalm Death, Extreme Noise Terror, Circulo Activo, Amon Amarth, Elluvetie e Lacerated and Carbonized. Literalmente um Viking que não marca território: o mundo é sua morada. Lê constantemente sobre política, religião, história das guerras e a autodestruição humana que não aprendeu até hoje a viver com as diferenças. Some com a cena ou suma dela mesmo, agora!

Matérias relacionadas