Cytotoxin – Gammageddon (2017): técnico, brutal e radioativo!

Cytotoxin – Gammageddon (2017): técnico, brutal e radioativo!

Técnico, brutal e radioativo. É o que melhor define o som dos alemães do Cytotoxin. Pouco conhecidos, mas extremamente talentosos, principalmente no que diz respeito à execução rápida de riffs complexos e atmosféricos, que transportam o ouvinte a cenários de puro desespero, como Chernobyl em 26 de abril de 1986. Me refiro, é claro, à temática da banda, que é radioatividade, como o nome já sugere. Em 21 de julho desse ano foi lançado o terceiro full-lenght dessa maravilhosa banda, Gammageddon! O álbum conta com 10 faixas inéditas – que…

Leia mais aqui

Resenha: Four Dead Passengers – Social State Of Decay (2017 EP)

Resenha: Four Dead Passengers – Social State Of Decay (2017 EP)

EP de lançamento da banda gaúcha revela sonoridade marcante e promete ser destaque na cena gaúcha. Pesado e com belas passagens melódicas, Social State Of Decay,  o EP de lançamento da Four Dead Passengers, surpreende e deixa um gosto de “quero mais”. Sua formação é composta de ex-integrantes da Ashes, como Carlos Paiva (baixo), André Freitas (guitarra) e Léo Hatred (bateria), além de Israel Savaris (vocal) da Bloody Violence. Na primeira música, Darkest Desire, a banda mostra à que veio, com riffs pesados e um solo marcante. A linha vocal é muito…

Leia mais aqui

Lacerated and Carbonized: Narcohell – Resenha do disco

Lacerated and Carbonized: Narcohell – Resenha do disco

Nota: 10 Famosa, peculiar, conhecida no mundo inteiro como a capital das belas praias e belas mulheres, o Rio de Janeiro esconde uma face oculta, violenta, rebelde, impune, corrupta e ceifadora de inocentes. Neste meio de ruas entre arco iris e caos, surgiu o Lacerated and Carbonized, representantes da nova geração do Death Metal, brutal impiedoso, técnico, pesado e claro, veloz! Desmistificando que as terras cariocas são apenas “Futebol, carnaval, pagode e samba”, eles traze em suas letras realidades que vão na contra mão dos programas de TV, propagandas bem…

Leia mais aqui

Hell on Earth – Visceral Slaughter review

Hell on Earth – Visceral Slaughter  review

  O norte brasileiro tem grandes talentos no underground. E é de lá que vem uma máquina de fazer metal chamada Visceral Slaughter, formada por todos os membros da antiga Anonymous Hate. Em mãos “Hell on earth” full do quarteto do Amapá, disco este gravado no Studio In Khaoz, produzido por Alberto Martinez e Fabricio Goes (Membros da banda). O disco começa com uma intro de música clássica (Camille Saint-Saëns – Danse Macabre) prescedendo o terror do death metal amapaense, Nuclear Holocaust faixa numero dois, é uma predada violenta na orelha,…

Leia mais aqui

Unvorsum – Exception – Review

Unvorsum – Exception – Review

Unvorsum a banda Exception traz 5 petardos do melhor do Death Metal. A qualidade é gringa, mas a banda é nacional, mais expecificamente oriunda da terra de praias, comente conhecida co Ilha da magia, Florianopolis. Produzido por Exception E Bruno Anana, teve baterias gravadas gravadas no “Chagas Stúdio”. A primeira música tem uma intro que lembra os filmes de terror, singelos com músicas de criança, uma espécie de caos anunciado, e é isso que Disintegration of the human mass faz, traz um peso dilacerador onde guitarras e bateria fazem um…

Leia mais aqui

Doomwitness – Imperious Malevolence – review

Doomwitness – Imperious Malevolence – review

  “Doomwitness” produzido no estúdio Avantgarde em Curitiba por Maiko Thomé e pela banda. Oferecer 10 petardos muito bem distribuidos em 40 minutos de muito caos brutalizado em melodias do death metal. A arte digital do encarte foi feita por Anderson L.A (Natureza Morta), que já trabalhou com o Imperious Malevolence no conceito artístico dos álbuns anteriores da banda. Entre “Where Demons Dwell” de 2006 até “Doomwitness” houve um hiato de 8 anos praticamente, onde teve o single “Priests of Pestilence” lançado em 2011. Mesmo trocas de formação a Imperious…

Leia mais aqui

I the wolf – Warhell (Demo)

I the wolf – Warhell (Demo)

  a demo nao conta com uma qualidade muito boa de gravação, e a faixa ao vivo eixa a desejar bastante na qualidade , porém os pontos negativos ficam por ai, violência brutal em 3 faixas pra qualquer banguer sacudir o crânio. Dentre as trÊs faixas uma delas é cover do Mutilator. Warhell ainda tem muito pra se ouvir dessa banda que pude conferir de perto e é uma pedrada no palco! Conheça mais sobre a banda aqui: https://www.facebook.com/warhell.deaththrash  

Leia mais aqui

WARHELL – AFTER YOUR BLOOD TO THE MOSH

WARHELL – AFTER YOUR BLOOD TO THE MOSH

  After your blood to the mosh A demo conta com quatro músicas, pancadas muito bem tocadas. A primeira musica se chama “Die for thrash”, ritmada pelo thrash metal old school ideal para dar um tapa na cara logo d eentrada, e mostrar que a banda de Curitibanos – Sc não esta para brincadeiras. A meu destaque fica pra Warhell, tema qye leva o nome da banda. a musica entra nas veias e percorre o sangue inteiro. A qualidade também é muito boa, se tratando de uma demo. Conheça mais…

Leia mais aqui

Alive and Rotting – Necrobiotic

Alive and Rotting – Necrobiotic

  RESENHA – Necrobiotic (cd-demo – Alive and Rotting) Estou neste exato momento com uma dor fudida no pescoço, causada pelo cd-demo da banda Necrobiotic de Divinópolis. Ao ouvir este petardo do death metal nacional, a sensação que você tem não é outra senão chacoalhar seu cérebro até a cabeça cair, já que a porradaria come solta do início ao fim. Destaque especial para a capa, que honra filmes de pesquisa genética laboratorial tecnocrata ao estamparem 2 fetos dilacerados em meio a muito sangue, seringas e outros materiais cirúrgicos, e…

Leia mais aqui

Make My Short Suffer – Itself

Make My Short Suffer – Itself

  Make My Short Suffer – Itself Velocidade, técnica e agressividade é o retrato mais exato de “odeio Salva”, queixou-se da banda segundo álbum demo Paulista. Com textos que refletem o sentimento dos membros da banda em relação ao fanatismo religioso, a sólida estrutura deste trabalho são descritas apenas como uma Porras verdade, conduzir de forma significativa na primeira faixa chamada “Fiery Death”! As quatro faixas que fazem parte do álbum segue a estrutura do death metal moderno com um toque de Old School. Uma mistura de Cannibal Corpse com…

Leia mais aqui

Only Hate Saves – Decried

Only Hate Saves – Decried

  Decried Only Hate Saves (2009) Por:  Sadan  ([email protected]) Resenhado em 02/09/2009 Velocidade, técnica e agressividade é o retrato mais fiel de “Only Hate Saves”, segundo álbum demo da banda paulista Decried. Com letras que refletem o sentimento dos membros da banda com relação ao fanatismo religioso, a estrutura sonora deste trabalho não pode deixar de ser descrita também como uma verdadeira PORRADA, atributo presente claramente na primeira faixa denominada “Fiery Death”! As quatro faixas que fazem parte do álbum seguem a estrutura do Death Metal moderno com uma pitada…

Leia mais aqui

Descaso – Os maltrapilhos

Descaso – Os maltrapilhos

  Punk rock com seriedade e uma pitada de diversão, os maltrapilhos sarcasticamente deixam bem claro que políticos são uma grande poluição. Dizem que não agüentam mais tava corrupção, descaso do governo e da própria sociedade com ela mesma. O cover de Lixomania me trouxe aos velhos tempos onde o punk era respeito e temido não pela violência, mas sim pelo seu impacto anti-social. Dizem que queriam viver, pois não vivem realmente. Incentiva a luta proletária por melhores condições… em coro chama os trabalhadores a reivindicar seus direitos, trabalhos dignos…

Leia mais aqui

Run While you can – LYCANTHROPY

Run While you can – LYCANTHROPY

  Em minhas mãos chega o primeiro trabalho da banda Lycanthopy, denominado “Run While you can”… Uma produção que traz pontos negativos e positivos para o grupo. O quarteto conta com Diogo Vilela nos vocais,Laurence Martins na guitarra,Silas Demétrios no baixo e Sidney Ribeiro na bateria , traz um death metal diferenciado nesta demo, onde consta influencias de thrash e tradicional em seu som. Apesar da qualidade do áudio não ter ficado profissional, esta melhor que muita produção que se diz profissional por ai, e vale a pena comprar ,…

Leia mais aqui

Dead in a second – Lock Fist 669

Dead in a second – Lock Fist 669

  Porrada sem pretenssões de chegar despercebido .. No decorrer do disco a banda mostra maturidade e evolução plenamente visivel ao longo de sua carreira. Nestes 5 anos o crescimento da banda não foi natural, melhorou bastante e por esforço próprio com músicos que formam um time, não uma banda de diversão , vem se destacando em um cenário cada vez mais complicado , pois afinal a tecnologia pode maquiar erros e tenta igualar as bandas hoje em dia. Dead in a Second .. o mais novo trabalho do grupo…

Leia mais aqui