Até que o cinza tomasse o laranja

Até que o cinza tomasse o laranja

  Existem tormentas sem solução, mas em todos os seus sinônimos há avisos e anunciação.   O laranja foi cobrindo os meus olhos Ate onde minha ilusão alcançava O canto esquerdo dos meus lábios sorrira, No mesmo instante em que o direito chorava. Foram minutos de vislumbre Até que o cinza tomasse o laranja E todo o meu semblante tomado por dor Lamentasse a cadavérica nuvem que tomava o céu para si. Os pássaros ruiam um Si maior E as arvores assuviavam um desespero em Dó, Bati meus pés no…

Leia mais aqui

Cataclismo

Cataclismo

    O animo desistiu do suspiro que lhe mantinha proeminente. Acizentava-se o lívido que tomava o páramo Que tivera outrora  sido cerúleo… Ouviu-se estrilos estralados e eivados Palpebras encarnadas e tomadas de uma fúria colossal Findava-se o teor de um transcurso penoso Sofrido, lamentado, custoso de velar. Não convinha na pena a tinta, pois fez-se então Sangrar folhas de chancelas ranhidas Por essencias imperiosas. Fez-se ruir o arvoredo num cantico melífluo E as camirangas sobrepostas aos batéis Despediam-se as crias dos generantes Desonravam soldados, tais comandantes norteados Por uma…

Leia mais aqui